Campanha antecipada

Coluna Rita Oliveira – 27 de setembro

Nunca uma campanha presidencial começou tão cedo no Brasil e para governador em Sergipe. Primeiro o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) começou com as motociatas pelas capitais e bolsonaristas, há meses, fazem circular camisetas, faixas e adesivos onde se lê: “Bolsonaro 2022”.

O ex-presidente Lula já visitou seis dos nove estados do Nordeste, onde conversou com lideranças políticas e movimentos sociais.

Recentemente foi deflagrada uma inédita temporada de debates em veículos de comunicação com pré-candidatos e postulantes a chamada “terceira via”. Começou com o Estadão, que no mês passado realizou debate batizado como “Primárias”, com Ciro Gomes (PDT), Luiz Henrique Mandetta (DEM) e Eduardo Leite (PSDB).

Nesse domingo, 26, a GloboNews realizou um debate com os presidenciáveis, o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), Ciro Gomes e Henrique Mandetta.

Como não poderia ser diferente, os três presidenciáveis convergiram nos ataques ao presidente Bolsonaro e ao ex-presidente Lula, que aparecem, respectivamente, como vice-líder e líder de todas as pesquisas de intenção de votos ao Planalto.

Todavia, foi Lula e o PT que mereceram de Ciro, Mandetta e Vieira as críticas mais ferozes. Alessandro criticou o PT reinterpretando o diálogo vazado em 2016, que tinha como protagonistas Sérgio Machado e Romero Jucá. Citou a conversa em que Jucá sugeria um pacto “com o Supremo, com tudo” como algo favorável ao PT, quando o objetivo declarado era derrubar Dilma Rousseff da Presidência para tentar estancar a “sangria” das investigações contra corrupção.

Defensor da Lava Jato, o senador por Sergipe atribuiu as decisões que inocentaram Lula a um suposto “acordão”. Ressaltou que vinha do movimento de renovação que aconteceu em 2018.

Em Sergipe, o senador Rogério Carvalho (PT) apertou o pé, acelerou neste último final de semana a sua pré-candidatura a governador. Se reuniu com vários prefeitos e lideranças políticas em busca de apoio à sua candidatura a governador e alfinetou o governo de Belivaldo Chagas (PSD).

Isso deverá fazer com que Belivaldo venha realmente definir até o final de outubro, como deseja a maioria dos aliados, o candidato à sua sucessão pelo agrupamento. O deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) foi quem saiu na frente para tentar consolidar seu nome como o candidato governista, entrando depois o prefeito Edvaldo Nogueira (PDT).

Com a antecipação da campanha eleitoral, que normalmente inicia após o carnaval, ou Belivaldo define logo o candidato governista ou corre o risco de perder aliados para o ex-aliado petista Rogério Carvalho, que passou a externar oposição.

Agora é aguardar!

…………………………….

Pé no acelerador 1

Em Sergipe, no final de semana, o senador Rogério Carvalho (PT) se movimentou bem buscando consolidar sua candidatura a governador em 2022. Esteve em Nossa Senhora do Socorro, na casa do ex-candidato petista a prefeito do município Klewerton Siqueira, conversando com lideranças e moradores.

Pé no acelerador 2

Também foi a Propriá para encontro com prefeitos e lideranças do Baixo São Francisco, onde já fez discurso de oposição ao governo. “Eu estou decidido, mas com muita vontade, para trabalhar para que a gente possa desenvolver o nosso estado, para tirar o nosso estado da paralisia e da estagnação, mas isso só é possível se for um trabalho com todos os prefeitos. Todo a estrutura do governo do estado deve estar voltada para isso. A gente tem que focar naquilo que vai mudar a vida das pessoas”, afirmou, defendendo um pacto entre governo, setor produtivo e trabalhadores como uma forma de retomar o desenvolvimento econômico de Sergipe.

O que falar 1

Chamou a atenção as presenças no ato político de Rogério do prefeito Valberto de Oliveira Lima (MDB), que foi o anfitrião e é ex-secretário da Saúde, e dos prefeitos do PSD do governador Belivaldo Chagas e do deputado federal Fábio Mitidieri: Ricardo Roriz (Santana de São Francisco) e Flávio Dias (Telha).

O que falar 2

“O seu R e C não deveria ser de Rogério Carvalho não, deveria ser Rogério Confiança. Quando foi secretário de Déda, Rogério não esqueceu de nenhum município sequer dessa região. Reformou o hospital de Neópolis, e hoje está tudo indo em maus lençóis. A gente precisa de gente como você que sabe cuidar das pessoas. Esta é a região mais pobre de Sergipe, com pessoas desamparadas, desempregadas. Entra governador e sai governador e ninguém olha para o Baixo São Francisco. É preciso trazer indústrias para região, fazer daqui um polo turístico.”, defendeu Roriz.

Confirmando ser oposição

Disse ainda Rogério Carvalho, já pelas redes sociais: “A gente precisa ter um projeto de segurança que de fato passe essa sensação de que a sociedade, de que ricos e pobres, estarão protegidos pelo estado. Esse estado precisa se desenvolver de novo, esse estado precisa crescer de novo”.

Mais uma especulação 1

Segundo dois aliados do governador Belivaldo em conversa com a coluna, não passa de especulações a informação de que a mulher do prefeito Edvaldo Nogueira (PDT), Danusa Silva, venha a ser a vice de Fábio Mitidieri. Um deles chegou a declarar que isso foi uma sugestão de um dos aliados como forma de tirar Edvaldo da disputa e deixar ele engajado na campanha, pela densidade eleitoral na grande Aracaju.

Mais uma especulação 2

Já uma outra liderança do agrupamento revelou que não teve nenhuma conversa com Belivaldo e, muito menos, com o prefeito Edvaldo sobre a indicação da sua esposa como vice.  “Mas que tudo é possível”, frisou.

Sempre cogitados

No agrupamento do governador dois nomes são sempre citados como prováveis vices: o presidente da Assembleia Legislativa, Luciano Bispo (MDB), que já declarou sua pretensão de disputar um mandato majoritário em 2022, e a deputada estadual Janier Mota (PL).

Posse

A ex-prefeita de Itaporanga D´Ajuda, Gracinha Garcez (PSD), foi empossada na manhã desta segunda-feira como deputada estadual no lugar da deputada cassada Diná Almeida (PODE) por abuso de poder político e econômico nas eleições 2018. O ex-governador Albano Franco (PSD) e os deputados federais Fábio Mitidieri (PSD) e Gustinho Ribeiro (SD) estavam entre os que prestigiaram a solenidade de posse, que aconteceu no gabinete do presidente da Assembleia Legislativa, Luciano Bispo.

Maior bancada

Com a posse de Gracinha, o PSD do governador Belivaldo Chagas, que foi representado pelo secretário Geral de Governo, José Carlos Felizola, passa a ter cinco deputados estaduais. Os outros quatro são: Adailton Martins, Goretti Reis, Jeferson Andrade e Maisa Mitidieri. É a maior bancada na Assembleia.

Estratégia política

Como a coluna já tinha noticiado, um grupo de políticos vem se reunindo visando formação de uma chapa competitiva para deputado federal e estadual nas eleições 2022 sem a participação de parlamentares com mandatos, em razão de estar mantida a proibição das coligações proporcionais e da nova regra para alcançar a chamada sobra. Querem na formação da chapa candidatos em condições de igualdade, ou seja, sem a presença de deputados que vão para a reeleição e dispõem de recursos das emendas parlamentares.

Mais um encontro 1

Na sexta, 24, teve reunião de lideranças políticas com e sem mandato, para discussão de formação de chapa proporcional do Republicanos e PTB. O vereador de São Cristovão, Neto Batalha (PP), presente à reunião, aproveitou para fazer convite para filiação ao seu partido e defendeu o nome do deputado federal Laércio Oliveira (PP) para governador.  Batalha é pré-candidato a deputado estadual.

Mais um encontro 2

Marcaram presença na reunião almoço os deputados estaduais Capitão Samuel (PSC) e Rodrigo Valadares (PTB), que são pré-candidatos a deputado federal; o ex-prefeito de Capela, Sukita; o ex-deputado federal e presidente do Republicanos, Jony Marcos; e os ex-deputados estaduais Venâncio Fonseca e Jairo de Glória.

Reforma política 1

O Congresso Nacional promulga nesta terça-feira (28) a Emenda Constitucional (EC) 11/21, que acrescenta dispositivo ao Ato das Disposições Constitucionais Transitórias e altera a Constituição Federal, para fins de reforma político-eleitoral. Entre as alterações que já vão valer para as próximas eleições estão a contagem em dobro de votos dados a mulheres e pessoas negras para a Câmara dos Deputados de 2022 a 2030, para fins de distribuição, entre os partidos políticos, dos recursos do Fundo Eleitoral.

Reforma política 2

Ficou mantida a perda do mandato dos deputados (federais, estaduais ou distritais) e vereadores que se desfiliarem do partido pelo qual foram eleitos, mas foi criada uma exceção para a manutenção do mandato: quando o partido concordar com a filiação.

Reforma política 3

Além disso, a partir das eleições de 2026, a posse do presidente da República será em 5 de janeiro, e a posse dos governadores será no dia 6. Atualmente, ambas são no dia 1º de janeiro.

Reforma política 4

Foi rejeitado a volta das coligações partidárias nas eleições proporcionais (deputados federais, estaduais e distritais e vereadores). As coligações em eleições proporcionais estão proibidas desde a promulgação da Emenda Constitucional 97, de 2017, e já não valeram nas eleições municipais de 2020.

Veja essa…

Do senador Rogério Carvalho sobre os mil dias do governo do presidente Jair Bolsonaro: “Os 1000 dias de Governo Bolsonaro e o que vimos foi o povo trocando a carne pelo frango, o frango pelo ovo, o ovo pelo osso. O que vimos foi uma população inteira voltar para o mapa da fome. Vimos o governo trocar vacina por propina, negar a ciência, apostar na morte”.

 

CURTAS

A delegada Danielle Garcia, presidente estadual do Podemos, pode vir a disputar o Senado em 2022.  Isso ficou deliberado durante reunião da Executiva Estadual do partido, reunida nesta segunda-feira.

O governador Belivaldo Chagas festejou nesta segunda os 10 anos de criação do PSD. Diz que foi o partido que o acolheu tão bem em 2018, que está sempre cercado de amigos, que está feliz e tem orgulho de construir o partido, que é um dos que mais cresce no país.

“Excelente a notícia de que os deputados federais aprovaram nesta segunda-feira, o projeto que permite ao Governo Federal abrir espaço no Orçamento para custear o Auxílio Brasil, novo programa social que substituirá o Bolsa Família”, comemorou o ex-deputado federal André Moura (PSC). Se aprovado pelo Senado, o benefício passará dos atuais R$ 189 para R$ 300.

Do senador Alessandro Vieira sobre os mil dias do governo Bolsonaro: “Os 1000 dias de Bolsonaro representam um atraso absurdo em todas as áreas, mas uma em particular exige atenção: quem se elegeu para mudar tudo isso aí se juntou ao PT e o Centrão para acabar com a Lavajato e atrasar todo o trabalho de combate à corrupção”.

Senadores decidiram nesta segunda derrubar um veto do presidente Jair Bolsonaro a um projeto de lei que busca instituir as federações partidárias. Segundo a proposta, aprovada no mês passado, os partidos poderão formar federações e atuariam em conjunto tanto durante as eleições quanto nos quatro anos de atividade no Congresso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *