TSE confirma afastamento de presidente do Patriota por manobra para filiação de Bolsonaro

Uma ala do Patriota, partido da vereadora de Aracaju Emília Corrêa, continua sem querer a filiação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que quer se filiar à legenda para lançar sua candidatura à reeleição.

Na quinta-feira (08), o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Luís Roberto Barroso, decidiu acatar um pedido dessa ala do Patriota contrária à filiação de Bolsonaro e afastar Adilson Barroso do comando do partido por manobras para filiação do presidente.

Segundo Jorcelino Braga, secretário-geral do Patriota, com a decisão do TSE foram anuladas todas as atitudes de Adilson Barroso, que considera irregulares.  Enfatiza que estão voltando todos os delegados afastados pelo presidente por serem contrários a filiação de Bolsonaro e que com o afastamento de Barros assume a presidência Ovasco Resende.

A articulação de Bolsonaro para se filiar ao Patriota e controlar diretórios estratégicos deflagrou uma guerra entre correligionários. O presidente está exigindo o comando dos diretórios do Patriota em São Paulo, Rio e Minas Gerais, os três maiores colégios eleitorais do país.

Desde que deixou o PSL, em novembro de 2019, o presidente procura uma sigla para abrigar sua candidatura a um novo mandato, em 2022. Tentou montar o Aliança pelo Brasil, mas a empreitada não deu certo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *