Aumento salarial de até 69% a ministros reforça degradação do Estado pelo governo federal

A Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital (Fenafisco) deplora o artifício de que se serviu o ministério da Economia para afrouxar as regras do teto salarial do funcionalismo público, em benefício de reservistas – entre os quais os atuais presidente e vice-presidente da República – e alguns servidores públicos aposentados, que serão contemplados com aumentos salariais de até 69% acima do teto.

O aumento seletivo autorizado pelo presidente da República, que dele se beneficiou, bem como a revelação – pelo jornal O Estado de São Paulo – de um orçamento paralelo na ordem de R$ 3 bilhões destinados à “compra” de apoio parlamentar, demonstram a completa falta de sensibilidade para com as reais prioridades do país e a preocupação exclusiva com a satisfação de interesses pessoais que orientam a conduta do governo federal.

Como se não bastasse, a PEC 32, erroneamente chamada de reforma administrativa, uma vez que, ao contrário de melhorar e modernizar os serviços públicos, resultará no seu completo desmonte, caso aprovada, deixando o país ainda mais suscetível à corrupção e à mercê da política fisiológica.

Enquanto os servidores públicos estão com seus vencimentos congelados, o governo libera aumento salarial para sua casta e lança mão do pouco que resta do orçamento de um país em crise para “comprar” votos para aprovar medidas de penalização da população.

O governo degrada órgãos fundamentais do Estado, privilegia interesses, práticas não-republicanas, e deixa o país à deriva em meio à mais grave crise sanitária dos últimos 100 anos.

Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital – Fenafisco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *