Prefeitura de Aracaju amplia investimentos para reforçar oferta de serviços de Saúde

Há mais de um ano, a Prefeitura de Aracaju enfrenta, de maneira planejada, a pandemia provocada pelo novo conoravírus, uma crise sanitária que, consequentemente, ampliou a demanda pelos serviços ofertados na rede de saúde do Município.

De acordo com o secretário municipal da Fazenda, Jeferson Passos, esse quadro pandêmico resultou em um aumento de gastos da Prefeitura na área da Saúde. “O momento exigiu esse aumento porque as pessoas seguem precisando de maior suporte e serviços mais específicos”, frisa.

“Tivemos um aumento de gastos na Saúde na ordem de 18,11%, no ano passado. A maior parte desses gastos foi no enfrentamento à covid-19. Em 2019, foram gastos pouco mais de R$467 milhões. Já em 2020, foram mais de R$552 milhões. O que vai definir o fechamento financeiro deste ano de 2021 é o comportamento da pandemia”, esclarece o secretário da Fazenda.

Segundo Waneska Barboza, secretária da Saúde de Aracaju, para assegurar a devida assistência a população aracajuana durante todo esse período de pandemia, algumas ações desenvolvidas nos últimos anos serviram para que, no momento atual, a rede municipal pudesse dar uma resposta mais concreta às demandas da pandemia.

“A Saúde procura investir o recurso público em melhorias dos próprios serviços, tanto para os servidores como para os usuários. Nosso foco sempre foi utilizar o recurso que existe na Saúde equalizando da melhor forma, mas priorizando as melhorias nas unidades, na renovação do parque tecnológico, no mobiliário, no investimento no prontuário eletrônico que é, ainda, um sistema de controle de gestão. Todo recurso que entra, analisamos o que existe de mais urgente, devolvendo esses recursos em ações e serviços”, ressalta a gestora.

Entre as ações executadas pela Prefeitura neste período de pandemia, é possível destacar a disponibilidade de Unidades Básicas de Saúde (UBSs) exclusivas para síndromes gripais, a edição de decretos para viabilizar o distanciamento social, a promoção de fiscalizações, a ampliação constante dos leitos, o aumento da testagem e, agora, a atuação célere na campanha de vacinação.

Estas ações colocam Aracaju acima da média nacional de vacinação, além de fazer com que o Município tenha a menor taxa do Nordeste e terceira menor do país em letalidade porcovid-19.

“A gente sabe que o cenário geral, no momento, é ruim, com alto número de casos, com altos custos de investimentos porque estamos precisando comprar equipamentos, montar leitos e tudo isso é muito caro. Por isso, trabalhamos, ainda, com a conscientização da população porque não adianta a vacinação ter começado, se cada um não mantiver os devidos cuidados”, salienta a secretária.

Para Waneska, mesmo com a vacinação, ainda será necessário, por um bom tempo, usar máscaras, manter o distanciamento social, evitar aglomerações. “Então, num momento de alta de casos, precisamos priorizar a vacinação, e o investimento naquilo que é necessário, em equipamentos, em leitos de retaguarda, o monitoramento, a testagem das pessoas. Portanto, todo o investimento tem sido para o controle da pandemia”, pontua Waneska.

Num cenário diferenciado, com maior controle da pandemia, baixa de casos e mortes, a gestora aponta que o olhar pode ser mais amplificado.

“Se, num curto prazo, conseguirmos controlar a pandemia e torná-la, talvez, endêmica, precisamos investir no controle das demais doenças, aumentar a oferta de procedimento para quem tem diabetes, problemas renais, e outras doenças crônicas. A pandemia traz um cenário a mais, mas a saúde das pessoas não parou, então precisamos equacionar isso”, pondera a gestora.

Em paralelo ao que vem sendo feito em relação à pandemia, completa Wankeska, o Município tem investido, por exemplo, na construção da maternidade no 17 de Março. “Hoje, ela está em torno de 60% da obra executada”, frisa.

“Temos um cronograma de revitalização de UBS, então, a gente olha dentro do território das UBSs aquelas que ainda não passaram por reformas e revitalizações e colocamos no cronograma para melhoria. Da mesma forma, temos feito no Fernando Franco, onde disponibilizamos mais 19 leitos, em virtude da pandemia, mas que serão deixados para o hospital. Temos, ainda, cuidado de melhorias nos Caps, nos Cemar, no CEO. Tudo é feito de forma planejada para atender a necessidade da população e melhorando as estruturas para ofertar um serviço de qualidade”, pontua a secretária.

Waneska destacou ainda que a Saúde municipal segue focada no Planejamento Estratégico, pensando naqueles que mais precisam, “com foco na melhoria da Atenção Básica, no cuidado da criança e da mulher, tentando melhorar o acesso das pessoas, aumentando a equipe de Saúde da Família”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *