Vice tem de somar

Coluna Rita Oliveira – 16 setembro

[email protected]

 

Quando rompeu com o aliado de décadas – o prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) – para ter candidatura própria a prefeito de Aracaju, o PT sofreu um grande isolamento político. Todos os aliados do agrupamento liderado pelo governador Belivaldo Chagas (PSD) ficaram com Edvaldo, a exemplo do PSD, MDB, PCdoB.

O ex-deputado federal Márcio Macedo, ao ter seu nome consolidado como pré-candidato a prefeito pelo PT, começou sua caminhada rumo a Prefeitura de Aracaju com a dificuldade de conseguir aliança.  Esperava o apoio do MDB do ex-governador Jackson Barreto, por ser ligado ao ex-presidente Lula, e até mesmo uma composição com o ex-aliado PSB dos Valadares.

Jackson fez a opção de manter o apoio do MDB a reeleição de Edvaldo Nogueira e o PSB de ser vice da delegada Danielle Garcia (Cidadania), sendo o ex-deputado federal Valadares Filho o seu vice, após decidir retirar sua pré-candidatura a prefeito.

O PT teve conversas com vários outros partidos sobre composição, sem conseguir êxito.  Chegou a 31 de agosto, quando iniciou o prazo para as convenções municipais, sem um aliado.

Quando parecia que iria para as eleições isolado, conseguiu, no dia 4 de setembro, uma aliança com o PROS, comandado no estado pelo ex-deputado estadual Robson Viana, que sempre foi vinculado politicamente a Jackson Barreto.

Ontem, véspera do prazo final para realização das convenções e também a do PT, Márcio Macedo consegue um reforço à sua pré-candidatura: o apoio do Rede Sustentabilidade, após o ex-presidente da OAB, Henri Clay, desistir da sua pré-candidatura e apoiá-lo. O petista conquistou o apoio do Rede, mas não que Henri Clay fosse o seu vice, o que levou o partido a uma solução caseira: escolher a ex-deputada estadual Ana Lúcia como vice.

A conquista em termos de votos para o candidato do PT seria maior se Henri Clay topasse ser o vice. O advogado somaria bem mais pela sua história em defesa da causa operária e dos trabalhadores, como ex-presidente da OAB e pela votação expressiva que conquistou nas urnas quando, em 2018, disputou o Senado, obtendo o 109.562 votos, e tendo sido o segundo candidato ao Senado mais votado em Aracaju, com 52.303 votos.

Henri Clay na chapa do PT daria mais ênfase e peso à Frente Progressista de Esquerda, que será formada hoje nas convenções municipais do PT, Rede e Pros.  Sem ele, apostou-se na indicação de uma mulher para o posto, como fez vários partidos nas eleições deste ano em Aracaju baseados em pesquisas qualitativas que mostram a relevância feminina em uma chapa majoritária.

Quem mais gostou do vice do PT foram os ex-aliados…

…………………………….

Unidade

O PT demonstrou ontem (15) união em torno das pré-candidaturas de Márcio Macedo e Ana Lúcia. Toda a cúpula petista – Rogério Carvalho, João Daniel, Eliane Aquino, Silvio Santos – compareceu ao lançamento da chapa e da Frente Progressista de Esquerda com PT/Rede/Pros. A convenção municipal será nesta quarta-feira (16), último dia das convenções.

 

A vice

De Márcio Macedo na defesa do nome da sua vice: “Ana Lúcia foi consenso dos três partidos. Ela é uma mulher de luta, aguerrida, com trabalhos sociais prestados. Ela foi a deputada estadual mais votada na história do estado. Não tenho dúvida da sua importância no cenário político do nosso estado”.

O motivo

A coluna tem informações que o motivo maior que levou o ex-presidente da OAB, Henri Clay, não ter aceitado ser vice de Márcio Macedo (PT) foi só querer participar desta eleição se fosse como protagonista. E que, por isso, foi quem sugeriu que o PT indicasse a ex-deputada estadual petista Ana Lúcia como vice, com o argumento de que as eleições deste ano estarem favoráveis as mulheres.

União contra a direita 1

Foi Henri Clay quem anunciou o nome de Ana Lúcia como vice de Márcio Macedo no ato político em que foi anunciado a Frente Progressista de Esquerda. Antes fez um discurso defendendo a necessidade de aglutinação de forças dos partidos de esquerda para combater a “direita reacionária, o fascismo, a homofobia, o massacre aos negros, a devastação da Amazônia e a entrega do patrimônio brasileiro”.

União contra a esquerda 2

Enfatizou que a “direita reacionária” está se organizando e é preciso conter. “Esse combate tem de ser de frente, com a força popular e com estratégia. É preciso ter visão da atual conjuntura do país”, afirmou Henri Clay, que não poupou críticas ao governo Bolsonaro dizendo que representa “o retrocesso, a direita retrógada e reacionária”. “É preciso combater isso”, frisou.

Fator decisivo

A coluna tem informações de que mesmo sem ter conseguido coligação, o que proporcionaria fundo eleitoral e tempo de televisão, Henri Clay relutou muito em desistir da sua pré-candidatura. Foi pressionado pelos pré-candidatos a vereador do Rede para compor com o PT, que tem mais de 2 minutos de tempo de TV e fundo partidário.

Puro sangue

O DEM – que conversou com PSB, Cidadania, Patriotas e Avante – não conseguiu fechar aliança para as eleições deste ano em Aracaju.  Como a coluna já antecipou ontem, o Democratas vai para a disputa com chapa puro sangue tendo como candidata a prefeito a delegada Georlize Teles e como  vice o coronel Péricles. A chapa foi homologada na convenção municipal do partido, realizada nessa terça-feira (15).

Pra valer

Em seu discurso após homologação da chapa, Georlize avisou que não entrou na disputa para fazer “figuração”.  Disse que perder ou ganhar faz parte do jogo, mas está entrando para jogar, para participar da disputa, mostrando o  projeto para Aracaju. “Vamos disputar, mas a vitória depende do povo aracajuano”, frisou.

Ponto de vista

 Presente à convenção, a senadora Maria do Carmo Alves (DEM) destacou que o projeto do Democratas nas eleições deste ano na capital “contempla os anseios do povo de Aracaju e resgata o legado deixado pelo ex-governador João Alves”.

DEM em Sergipe 1

Além da chapa majoritária puro-sangue, o DEM lançou em Aracaju 36 candidatos à Câmara Municipal. Em 19 municípios, o Democratas terá candidato a prefeito e em 11 terá candidatos a vice-prefeito. 

 

DEM em Sergipe 2

Segundo o presidente estadual José Carlos Machado, a expectativa é que o DEM tenha um salto quantitativo e qualitativo nas eleições deste ano. Lembra que ao assumir o comando da sigla existiam quatro prefeitos filiados e hoje são oito com expectativa de eleger em 15 de novembro pelo menos 15.

Socorro 1

A chapa do deputado estadual Dr Samuel (Cidadania) como candidato a prefeito e do vereador Wagnerrogeris Lima (PL) como candidato a vice foi a primeira de Nossa Senhora do Socorro a ser registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE).  Ela tem 32 candidatos  a vereador pelo Cidadania, 31 pelo PL e 25 pelo Patriotas. Dr Samuel, que foi o deputado estadual mais votado no município em 2018, disse que está “muito confiante”.

Socorro 2

Convenção municipal do PDT já homologou a candidatura do deputado federal Fábio Henrique a prefeito, tendo como vice a presidente da Câmara Municipal Maria da Taiçoca (PSD). E hoje, durante convenção municipal do PP, será homologada a candidatura do prefeito Padre Inaldo a reeleição, tendo como vice o ex-secretário de Estada do Turismo, Manelito Franco, filho do ex-prefeito Zé Franco.

Santo Amaro

O presidente estadual do PTB, deputado estadual Rodrigo Valadares, disse que tomou conhecimento ontem que o seu partido em Santo Amaro das Brotas se coligou na majoritária com o Cidadania e vai intervir. “Isse fere os rumos que o nosso partido segue nacionalmente”, afirma Rodrigo, que é candidato a prefeito de Aracaju e tem entre os maiores adversários a candidata do Cidadania, a delegada Danielle Garcia.

 

Lagarto

Nesta quarta-feira acontece a convenção do SD, que homologará a candidatura à reeleição da prefeita Hilda Ribeiro, tendo como vice o vereador Fábio Franklin. Será chapa puro sangue. Também hoje tem convenção do PSC, que registrará como candidato a prefeito o deputado estadual Ibrain Monteiro. Já é candidato a prefeito no município Nininho do Bolo Bom (Cidadania), tendo como vice Iara Fukano (Cidadania).

Contra

O senador Alessandro Vieira, que é vice-presidente da Frente Parlamentar Mista da Renda Básica, disse que é 100% contra o congelamento de salários e pensões. “Não precisa de nada disso para ampliar e melhorar a assistência aos mais carentes, através da reformulação do Bolsa Família. E não importa o nome que se escolha, o essencial é garantir um programa robusto e fiscalmente viável”, afirma.

Veja essa…

Do pré-candidato a prefeito Márcio Macedo ontem, durante anúncio da Frente Progressista de Esquerda, formada pelo PT/Rede/PROS, ao alfinetar indiretamente a adversária, a delegada Danielle Garcia (Cidadania): “Deixe a pistola e o distintivo e venha para a arena da política. Pode vir. Não se esconda atrás do distintivo e da pistola. A eleição é debate político”.

CURTAS

A prefeita de Pedrinhas, Mara da Farmácia (PSD), desistiu de disputar a reeleição. Vai apoiar Zé de Bá (PT), indicando como vice Elisangela (MDB).

O senador Rogério Carvalho (PT) prestigiou ontem, em Laranjeiras, a convenção municipal que homologou a candidatura do ex-prefeito Juca de Bala (MDB) como prefeito e de Jânio como vice.

O prefeito de Estância, Gilson Andrade (PSD), irá para a reeleição tendo como vice o presidente da Câmara Municipal, vereador André Graça (PP). A chapa majoritária será homologada na convenção partidária dessa quarta-feira (16).

A prefeita de Riachão do Dantas, Simone de Dona Raimunda (PSD), vai para a reeleição mantendo como vice Galego da Samba (PSD). Já a ex-prefeita Gerana Costa desistiu de candidatura familiar (esposo e nora) e vai apoiar o advogado Ubiratan (DEM) para prefeito.

A Assembleia Legislativa aprovou ontem indicação do deputado estadual Adailton Martins (PSD) em que solicita ao Governo do Estado que autorize a realização de apresentações de música ao vivo em bares e restaurantes no estado.

De acordo com o parlamentar, a propositura é um pleito dos músicos sergipanos que vêm enfrentando dificuldades financeiras em virtude da pandemia do novo coronavírus (COVID-19), desde o dia 15 de março, quando as atividades foram suspensas nos estabelecimentos.

Em convenção municipal nessa terça-feira (15) o ex-deputado federal Sérgio Reis teve sua candidatura a prefeito de Lagarto homologada pelo MDB, tendo como vice o empresário Joãozinho de Solinha (DEM).   O ato foi prestigiado pelo governador Belivaldo Chagas (PSD), os deputados federais Fábio Reis (MDB) e Laércio Oliveira (PP), os ex-prefeitos Jerônimos Reis e Zezé Rocha, e a deputada estadual Goretti Reis, entre outras lideranças.

Sérgio vai para a disputa em uma coligação MDB/DEM/PSD/PP, com mais de 70 candidatos a vereador. “Iremos disputar essa eleição com um único pensamento: construir uma Lagarto de um novo jeito, garantindo três bases fundamentais: saúde, trabalho e renda mínima para todos”,

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *