Pedras no caminho do PSB

Coluna Rita Oliveira – 24 julho

Somente agora, 35 dias antes do início das convenções partidárias – que ocorrerá de 31 de agosto a 15 de setembro por conta do adiamento das eleições, em razão da pandemia do novo coronavírus – é que começa a esquentar o clima eleitoral em Sergipe.

Caminha para ser inviabilizada a aliança PSB, DEM, Patriota e Avante com o ex-deputado federal Valadares Filho sendo pré-candidato a prefeito e a delegada Georlize Oliveira sendo a vice.  E por desentendimentos interno dentro do Avante e DEM.

O publicitário Lúcio Flávio, com o apoio do Movimento Brasil 200, deseja ser pré-candidato a prefeito da capital pelo Avante com o objetivo de capitalizar os votos dos partidários do presidente Jair Bolsonaro em Aracaju, que no segundo turno das eleições 2018 teve 140 mil votos na capital.  Ele integra o movimento pró-Bolsonaro e está sempre nas ruas de Aracaju em apoio ao governo.

O empecilho maior para que o Avante tenha candidatura própria pode estar no presidente do partido Clóvis Silveira, que ver com simpatia uma aliança com Valadares Filho. Pesa também o fundo partidário, tempo de televisão e custo de campanha, em razão dos poucos recursos da legenda. Segundo Clóvis, até 5 de agosto espera ter uma definição sobre isso.

Também pode mixar a presença do DEM na composição com o PSB. Não somente pela indefinição do presidente estadual do Democratas, José Carlos Machado, que deseja levar o partido a uma candidatura vinculada ao presidente Bolsonaro pela possibilidade de poder chegar a ser secretário executivo de um ministério se o amigo Fraga, natural de Estância, chegar a ser ministro em Brasília.

Tem ainda o polêmico empresário João Tarantella, filiado ao DEM, quem se posiciona contrário a uma composição com o PSB. Diz que o DEM tem de lançar candidatura própria com Georlize Oliveira, pela necessidade de oferecer aos eleitores de Bolsonaro um candidato para votar para prefeito de Aracaju.

Tarantella disse à coluna que se ficar acordado que Georlize venha a ser a vice de Valadares Filho ele colocará seu nome como pré-candidato a prefeito e tem a convicção de que contará com o apoio da maioria da Executiva Municipal e dos pré-candidatos a vereador do Democratas. Acha que pode muito bem representar Bolsonaro, por ser seu eleitor desde sempre e feito campanha nas ruas para ele em Sergipe

Revela que em Aracaju tem pelo menos 100 mil eleitores de Bolsonaro que ainda não sabem em quem votar para prefeito e que o único em Sergipe que poderia capitalizar esses votos para a candidata do seu partido [delegada Danielle Garcia] era o senador Alessandro Vieira. “Mas ele perdeu o foco com projeto para inibir cidadãos nas redes sociais [se refere a lei de combate as fake News, de sua autoria, que já foi aprovado no Senado] e ainda é crítico do governo Bolsonaro”, disse, enfatizando que a delegada não deve ter os votos de Bolsonaro por conta do enfrentamento de Alessandro ao projeto.

Trocando em miúdos está sendo desconstruída uma chapa muito competitiva para a Prefeitura de Aracaju nas eleições deste ano, que seria Valadares Filho como prefeito e Georlize como vice.

Agora é aguardar o desfecho desse imbróglio, que vai dá muito pano para manga…

…………………………….

Alfinetada

Em conversa ontem com a coluna, o empresário João Tarantella explica taxativamente porque a maioria da Executiva Municipal do DEM não aceita uma composição com Valadares Filho (PSB). “Por mais de 20 anos Valadares Filho fez parte de um projeto de aliança que acabou com o Brasil. Além disso, nunca trabalhou na vida. Vive de fazer política e hoje, sem mandato, vive as custas do PSB. Já perdeu duas eleições para prefeito de Aracaju”, disparou.

Defesa do projeto 1

Para Tarantella, são os pré-candidatos a vereador que têm de liderar o projeto. “Estou no DEM porque o partido Aliança Pelo Brasil ainda não foi criado. Quando conversei com o DEM foi dito que tinha espaço para vereador ou vice e eu coloquei que se Georlize retirasse sua candidatura colocaria meu nome para liderar o projeto Bolsonaro em Aracaju. Se o partido achar que somamos mais que Georlize, que é decente e uma honrosa representante do DEM,  posso ser candidato a prefeito”, declara.

Defesa do projeto 2

“É preciso um choque de gestão na capital que há três décadas é comandada por pessoas apoiadas pelo ex-governador Jackson Barreto (MDB), a exceção de João Alves Filho (DEM). É preciso fazer política com decência e responsabilidade com as pessoas. É preciso um modelo diferente desse que está em Aracaju e Sergipe”, acredita Tarantella.

Volta por cima 1

O ex-deputado federal André Moura (PSC) retorna hoje ao governo do Estado do Rio de Janeiro com o comando de uma super secretaria criada especialmente para ele: a de Desenvolvimento Econômico, Governo e Casa Civil.  A sua volta foi definida ontem após uma conversa com o governador Wilson Witzel, que o havia exonerado em maio passado do cargo de secretário da Casa Civil por pressão do então secretário de Desenvolvimento Lucas Tristão, que via em André uma “sombra”.

Volta por cima 2

Witzel vê em André a salvação para impedir o seu impeachment, pela boa relação política que tem com os deputados estaduais e a sua capacidade de articulação política. A sua nomeação será publicada no Diário Oficial desta sexta-feira.

Volta por cima 3

Foi o intermediário da conversa dos dois o vice-governador Cláudio Castro (PSC).  André, que estava em Sergipe se mobilizando para ajudar aliados nas eleições deste ano, agora retorna ao Rio de Janeiro para “cuidar da gestão de governança e da governabilidade” do governo de Witzel. Diz que vai reiniciar o diálogo com os deputados estaduais.

Impeachment 1

Em junho a Assembleia Legislativa autorizou, pela unanimidade de 69 deputados, a abertura do processo de impeachment do governador por denúncias referentes a supostos desvios por meio de contratos firmados com a Secretaria de Saúde durante estado de emergência decretado por causa da pandemia do novo coronavírus.

Impeachment 2

Nessa quarta-feira (22) advogados do governador acionaram o STF (Supremo Tribunal Federal) para impedir o andamento do processo de impeachment. A ação questiona a formação da Comissão Processante que investiga supostas fraudes em contratos da área da saúde durante a pandemia. De acordo com a defesa de Witzel, há “vícios” no andamento desse processo e, por isso, foi solicitada uma liminar que suspenda a formação da Comissão.

Novo projeto

Projeto do senador Rogério Carvalho (PT) propõe a criação do Programa Bolsa Medicamento, com a finalidadede de proporcionar mais um auxílio emergencial para quem precisa de medicamentos ,mas não tem condições de comprar. “Está na nossa Constituição, é dever do Estado proporcionar saúde de qualidade para o povo brasileiro!”, afirma.

Parcial 1

Rogério Carvalho (PT-SE) e Alessandro Vieira (Cidadania-SE) estão entre os 25 senadores mais votados para concorrerem ao Prêmio Congresso em Foco 2020, na categoria melhor senador. Rogério estava, até ontem, na 13ª posição, com 1.754 votos. Já Alessandro na 24ª posição, com 1.003 votos. O mais votado é Álvaro Dias (Podemos-PR), com 6.548 votos.

Parcial 2

Alessandro Vieira ainda foi bem votado na categoria especial do Prêmio Congresso em Foco referente a Clima Sustentabilidade, que engloba também os deputados federais, obtendo a 14ª posição com 1.040 votos. E na categoria Defesa da Educação, que também inclui os deputados, na 30ª posição, com 582 votos.

Parcial 3    

Na categoria de melhor deputado federal o que aparece melhor avaliado da bancada de Sergipe é Fábio Henrique (PDT), com 77 votos e na 246 posição. O mais votado é Carlos Jordy (PSL-RJ), com 6.548 votos.

O prêmio

Mais de 325 mil votos já foram distribuídos entre os parlamentares que concorrem ao Prêmio Congresso em Foco 2020. Estão aptos ao prêmio congressistas que exerceram o mandato neste ano por ao menos 60 dias e que não são alvo de acusações nem de investigações criminais, de acordo com levantamento feito pelo Congresso em Foco nas bases públicas de dados do Judiciário.

Veja essa…

O Ministério Público Federal (MPF) quer obrigar os estados a disponibilizar cloroquina para o tratamento dos pacientes da Covid-19. O medicamento é propagandeado pelo presidente Jair Bolsonaro, mesmo não tendo comprovação científica da sua eficácia. Duas ações já foram apresentadas pelos escritórios regionais da Procuradoria contra os governos de Goiás e Piauí, mas a Justiça Federal negou a primeira liminar.  Que continue negando.

CURTAS

Do senador Rogério Carvalho sobre o procurador Deltan Dallagnol: “Mais uma vez o procurado da Lava Jato, Deltan Dallagnol, está sendo investigado pelo Ministério Público. O crime não compensa e ninguém está acima da lei!”. Não mesmo!

A Assembleia Legislativa aprovou ontem Projeto de Lei (PL) 119/2020, que reconhece a atividade religiosa como essencial à população do Estado de Sergipe em períodos de crises ocasionadas por moléstia contagiosa ou catástrofes naturais.

Segundo o PL, os poderes executivos ficam autorizados a estabelecer, mediante decreto, a limitação do quantitativo de pessoas que podem ter acesso aos templos. A autoria é dos deputados estaduais Dr. Samuel Carvalho (Cidadania 23) e Gilmar Carvalho (Sem Partido).

O juiz da 12ª Vara Cível de Aracaju, Jair Teles da Silva Filho, indeferiu o pedido de tutela antecipada proposto na ação popular ajuizada pela vereadora Emília Correa (Patriota) que visava suspender, de forma imediata, gastos com publicidade decorrentes de dois contratos emergenciais celebrados pela Secretaria da Comunicação Social de Aracaju.

A secretária municipal da Saúde, Waneska Barboza, e o procurador- geral do município de Aracaju, Sidney Cardoso, concederão entrevista coletiva à imprensa sobre o Hospital de Campanha de Aracaju. Será às 7h30 de hoje, no Centro de Educação Permanente em Saúde (Cepes).

 

O Senado aprovou ontem (23), em sessão remota, a medida provisória (MP) 934/2020, que suspende a obrigatoriedade de 200 dias letivos no ano de 2020 devido à pandemia de coronavírus. No entanto, os sistemas escolares deverão cumprir a carga horária de 800 horas, tendo como alternativa o ensino remoto. O senador Carlos Fávaro (PSD-MT), relator da MP, destacou que os governos devem garantir aos estudantes condições de acompanhar as aulas não presenciais. Aprovada com 73 votos, a matéria será encaminhada à sanção presidencial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *