Quem vai herdar?

Coluna Rita Oliveira – 16 julho

 

Nas eleições 2018 o delegado Alessandro Vieira (Cidadania) foi eleito senador com o voto dos eleitores do presidenciável Jair Bolsonaro, que acreditaram nas suas propostas de melhoria da segurança pública, com a redução da criminalidade no país, e combate a corrupção. Bolsonaro e seus apoiadores foram beneficiados, principalmente, pelo antipetismo criado no Brasil.

Alessandro, que nunca tinha tido atividade política partidária, acabou sendo o candidato a senador mais votado, após conquistar nas urnas 474.449 votos.  Deixou de fora do Senado nomes de grandes lideranças políticas de Sergipe: os ex-governadores Jackson Barreto (MDB) e Antônio Carlos Valadares (PSB), que disputava a reeleição, e o então deputado federal André Moura (PSC).

Nas eleições deste ano em Aracaju, com 10 pré-candidatos a prefeito, um dos que deseja conquistar os votos dos bolsominios na esperança de se dá bem nas eleições é o ex-senador Almeida Lima, que vai disputar a Prefeitura de Aracaju pelo PRTB, partido do vice-presidente da República, general  Hamilton Mourão.

Almeida diz que na disputa pela Prefeitura de Aracaju não querer marchar com “essa chamada esquerda”. Ressalta que não suporta o rótulo de esquerda e direita, que se considera um social democrata e defende o bem estar social.

Admite que se identifica muito com o vice-presidente da República, pelas posições que defende, como a da Floresta Amazônica. “Tem pessoas que tem ojeriza a general por conta da ditadura militar, mas Morão é democrata, nacionalista, tem projeto para o país e a nação”, acredita.

Além do ex-senador, entre os outros nove pré-candidatos a prefeito da capital, quem também deve trabalhar para conquistar os votos dos bolsominios é o deputado estadual Rodrigo Valadares (PTB) e o delegado Paulo Márcio (DC), defensores voraz do presidente Bolsonaro. Os dois, inclusive, têm grande atuação nas redes sociais na defesa de Bolsonaro.

A pré-candidata delegada Danielle Garcia (Cidadania), não deve mais ir nessa linha de demonstrar ser a candidata que representará o governo Bolsonaro não somente pelo fato do senador Alessandro Vieira fazer hoje oposição ao Planalto, mas, também, pelo seu vínculo com o ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, que hoje é oposição ao presidente.

Vão se rotular como pré-candidatos da esquerda Márcio Macedo (PT), Henri Clay (Rede) e Alexis Pedrão (Psol).  Edvaldo Nogueira como pré-candidato de centro-esquerda, Georlize Oliveira como a candidata da direita e Valadares Filho como socialista.

Trocando em miúdos, nas eleições deste ano na capital sergipana deveremos ter três candidatos disputando os votos dos seguidores lunáticos de Bolsonaro.

………………………………………

O foco

Segundo o pré-candidato a prefeito Almeida Lima (PRTB), nas eleições deste ano vai querer se aliar a partidos que apoiam o presidente Bolsonaro. “Não vejo no governo Bolsonaro, que caminha para dois anos de gestão, nenhum escândalo de corrupção”, justifica à coluna.

 

Descartados

Revela que não quer conversa com o PT, nem no 1º nem no 2º turno, e muito menos com o PL de Edivan Amorim, o PSDB do ex-senador Eduardo Amorim e com o prefeito Edvaldo Nogueira (PDT). E que, se não conseguir fazer aliança, vai para a disputa com chapa “puro sangue”.

 

Convicção

Do pré-candidato a prefeito Valadares Filho (PSB) ao ser questionado pela coluna se vai disputar os votos dos bolsominios nas eleições municipais 2020: “Quero debater os problemas de Aracaju. Vou buscar a conquista de todos, não vou priorizar um discurso sobre apoio. Vou priorizar unir a cidade, melhorar o serviço público, dar moralidade ao serviço público, ser inovador. Se conseguir avançar vou manter a porta aberta do diálogo”.

 

Busca de maior unidade

Com nove pré-candidatos a prefeito pela oposição em Aracaju,  Valadares Filho declara que vai continuar debatendo com outros pré-candidatos o melhor para a capital e vai buscar a maior unidade possível da oposição. “Espero que as conversas evoluam”, afirma.

Entendimentos

O presidente estadual do PSDB, ex-senador Eduardo Amorim, diz que o partido dialogou com diversos pré-candidatos à prefeitura da capital, mas tem conversado mais com Danielle Garcia, desde o ano passado. Revela  que está tudo bem encaminhado para os tucanos participarem da sua chapa e admite a indicação do nome do empresário e vice-presidente do partido, Walter Soares, para vice sem qualquer imposição.

Sai atirando 1

O vice-prefeito de São Cristovão, Adilson Júnior (PSD), rompe politicamente com o prefeito Marcos Santana (MDB). Justifica dizendo que o prefeito não tem comprometimento político com a população São-cristovense, não cumpriu o que prometeu ao povo e perseguição é a marca da sua gestão. Revela que ele sofreu perseguição política de Marcos, que o impediu de contribuir com a gestão durante o seu mandato como vice-prefeito e, sequer, destinou um gabinete para ele.

Sai atirando 2

“Por não ter tido espaço para colocar em prática a nossa experiência administrativa e a realização do plano de governo que a gente apresentou na campanha, decidimos romper com o prefeito Marcos Santana”, finaliza Adilson, que é pré-candidato a prefeito.

Contra ataque 1

De Marcos Santana em resposta a Adilson Júnior: “Lamento que esse tipo de declaração do vice-prefeito aconteça em um momento tão difícil de pandemia. Talvez ele desconheça a informação, mas a cidade de São Cristóvão está entre os sete municípios no estado com maior número de contágio e o 4° em número de mortes. Quarentena não é hora para palanques eleitorais, a pandemia é real para todo mundo, sigo defendendo a vida, a saúde e a renda dos sancristovenses”.

Contra ataque 2

Prossegue o prefeito: “No entanto, me causa estranheza que esse tipo de discurso só tenha surgido após três anos e meio de gestão. Porque não foi feito antes? Sempre mantive os meus compromissos com Adilson Junior e o rompimento se deu diante da pressão para que eu definisse a manutenção dele na chapa majoritária. Sempre deixei claro que ele era um dos potenciais candidatos, mas que ainda não era o momento para antecipar questões políticas. Tudo tem que ser feito a sua hora. A ausência de Adilson Junior na rotina da cidade faz com que ele desconheça o trabalho realizado pela administração. Sobre a falta de estrutura para exercer o trabalho, informo que ele não tem gabinete porque optou por isso, mas o município disponibiliza outras estruturas condizentes com o seu cargo”.

Os vice

O candidato a vice-prefeito de Marcos Santana nas eleições municipais deste ano em São Cristovão caminha para ser o presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Paulo Júnior (MDB), que tem o apoio de 10 vereadores da base aliada. Já o vice de Adilson Júnior caminha para ser Betão (PDT).

Mais um debate

A Câmara dos Deputados promoveu ontem o segundo evento do ciclo de debates virtuais sobre a criação de uma lei para punir a disseminação de fake News nas redes sociais, que está na Casa desde o início do mês. O Projeto de Lei 2630/20, de autoria do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e já aprovado pelo Senado, institui a Lei Brasileira de Liberdade, Responsabilidade e Transparência na Internet, chegou à Câmara no início do mês.

 

Polêmica

A proposta gera muita polêmica. Enquanto alguns deputados e setores da sociedade acreditam serem necessárias medidas para combater o financiamento de notícias falsas, especialmente em contexto eleitoral, outros acreditam que as medidas podem levar à censura. Além do projeto do Senado, há mais de 50 projetos sobre fake News tramitando na Câmara.

Veja essa…

Em razão da Covid-19 vários pré-candidatos a vereador de Aracaju, com a média de 500 a 700 votos, estão desistindo da sua pré-candidatura. São comerciantes, autônomos, feirantes e ambulantes que por conta da pandemia não estão em condições de disputar uma eleição. Por conta disso, alguns partidos serão prejudicados com desfalque nas chapas já formadas e na redução de chance de eleger vereadores.

…e essa…

Em contrapartida, alguns caciques da política sergipana já estão atrás dessa raia miúda para que trabalhe para seus candidatos a vereador em Aracaju. Um deles já conseguiu dois apoios para o seu candidato, que deve disparar de voto nas urnas.

CURTAS

 

Prefeito Edvaldo Nogueira renova até o dia 22 de julho decreto de enfrentamento a Covid-19,  em razão da ocupação dos leitos em mais de 70% e decisão da Justiça Federal, que suspendeu a primeira fase de retomada da economia no âmbito estadual. Assim, permanecem fechados na capital os serviços não-essenciais, as regras de distanciamento social e a obrigatoriedade do uso de máscaras.

Com o surgimento da pandemia do novo coronavírus, a realidade dos atendimentos odontológicos precisou passar por readequações. Com isso, foi criado o Plano de Retomada das Atividades dos Centros de Especialidades Odontológicas de Gestão Estadual.

Segundo Erik Barros, coordenador dos CEOs Estaduais-Funesa/SES, o plano foi elaborado com o intuito de garantir a segurança de toda a equipe e usuários dos Centros, apresentando fases graduais para a retomada dos serviços nas sete unidades que atendem a 70 municípios Sergipanos.

Ontem completou dois meses que o Brasil, em meio a pandemia da Covid-19, está sem ministro da Saúde.  Agora o país começa a entrar na fase mais importante e crítica: a retomada da economia durante  a pandemia. Só Jesus na causa!

Apesar de vir tomando todos os cuidados não foi surpresa o governador Belivaldo Chagas (PSD) ter testado ontem positivo para a Covid-19. Isso porque está na linha de frente do combate ao novo coronavírus e todas as pessoas que o rodeiam já contrariam o vírus, a exemplo do motorista, da funcionária que trabalha na sua residência, dos empregados da sua fazenda, do garçom que lhe serve no Palácio de Despachos, de vários secretários e assessores, além da filha e do genro secretário José Carlos Felizola.

Com o governador, já são vários os políticos de Sergipe que testaram positivo para a Covid-19. Entre eles: a vice-governadora Eliane Aquino; os prefeitos Edvaldo Nogueira (Aracaju), Marcos Santana (São Cristovão), Padre Inaldo (Socorro), Airton Martins (Barra), Hilda Ribeiro (Lagarto), Elayne de Dedé (Malhador), Neudo Alves (Cedro de São João), Chico do Correio (Glória), Cristiano Beltrão (Ilha das Flores); o presidente da Assembleia, Luciano Bispo; os deputados estaduais Zezinho Sobral e Capitão Samuel; o deputado federal Fábio Reis; e o senador Rogério Carvalho. Felizmente todos se recuperaram, o que deve ocorrer com o governador, que é assintomático, está sendo cuidado e cumpre isolamento social.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *