Adilson Júnior justifica rompimento com prefeito de São Cristovão

“Acreditamos no projeto de Marcos Santana quando ninguém acreditava, mas, infelizmente, o que era a esperança do povo de São Cristóvão nessa gestão, virou decepção”. A declaração é do  vice-prefeito de São Cristovão, Adilson Júnior (PSD), que é pré-candidato a prefeito nas eleições deste ano, durante entrevista a imprensa.

Segundo Adilson, tem faltado comprometimento político com a população São-cristovense e este foi o ponto crucial para o deixar incomodado. “Quase tudo que foi prometido, inclusive um tempo novo ao povo de São Cristóvão, com novas práticas, uma nova forma de gestão e de agir, não foi cumprido. Lamentavelmente, o que nós vemos na nova gestão é a total falta de compromisso com a população e as mesmas práticas da velha política, antes muito criticadas”, desabafou.

Adilson Júnior relatou, ainda, que sofreu perseguição política do prefeito Marcos Santana, impedindo-o de contribuir com a gestão durante o seu mandato como vice-prefeito. “A perseguição é uma marca da gestão de Marcos Santana e, por não comungar da forma como o prefeito direciona a cidade, não tive espaço como vice-prefeito. Para se ter ideia, nem um gabinete, que é o mínimo para que a gente atendesse as pessoas, foi disponibilizado. E quando me refiro ao gabinete, é para demonstrar a falta de respeito que o atual prefeito tem, não só com o vice-prefeito Adilson Júnior, mas com a representatividade do cargo”.

Revela que por diversas vezes cobrou o gabinete e não o foi concebido. “Recentemente, Marcos Santana declarou entender que o vice-prefeito só deverá atuar na ausência do prefeito, totalmente ao revés do que haviam comungado. Para Marcos Santana, o vice-prefeito precisa ter um papel decorativo de substituir o prefeito apenas na sua ausência, embora, antes da eleição, esse não era o seu pensamento. Quando comuniquei a ele que iria apoiá-lo, mas que não queria ser candidato a vice-prefeito, ele, para nos convencer, disse que iríamos governar juntos, que eu iria ter voz e participação no planejamento da gestão e, infelizmente, nunca tive”, destacou Adilson.

“Por não ter tido espaço para colocar em prática a nossa experiência administrativa e a realização do plano de governo que a gente apresentou na campanha, decidimos romper com o prefeito Marcos Santana”, afirma Adilson.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *