Quadro indefinido

Coluna Rita Oliveira – 14 julho

 

Com o adiamento das eleições deste ano para 15 de novembro e, consequentemente, das convenções partidárias que agora ocorrerão entre 31 de agosto e 15 de setembro por conta da pandemia do novo coronavírus, a capital aracajuana segue sem definição de alianças majoritárias. Algumas conversas estão ocorrendo, mas nada de bater o martelo.

O Cidadania, que tem como pré-candidata a prefeita da capital a delegada Danielle Garcia, já teve conversas com alguns partidos, entre eles o PSB, PSDB e PL. O PSB, que tem como pré-candidato a prefeito o ex-deputado federal Valadares Filho, além de conversa com o Cidadania, já dialogou com o DEM, o Patriota e Avante, entre outros.

O PRTB, que tem como pré-candidato a prefeito o ex-senador Almeida Lima, já teve conversas com o ex-senador Valadares (PSB) e o ex-deputado federal e presidente estadual do DEM, José Carlos Machado. Como o PSB, o DEM tem pré-candidata a prefeita: a delegada Georlize Oliveira.

O PSDB, que não disputará a Prefeitura de Aracaju, vem conversando sobre alianças também com o DC, que tem o delegado Paulo Márcio como pré-candidato a prefeito.

O Rede, que tem como pré-candidato a prefeito o ex-presidente da OAB, Henri Clay, tem conversado também com alguns partidos, incluindo o PSOL, que acabou definindo por candidatura própria.

A cerca de dois meses para o prazo final para as convenções partidárias, o PDT do prefeito Edvaldo Nogueira, que vai para a reeleição, já tem alguns aliados definidos, que são companheiros de longas datas.

Tem como certo aliança com o PSD do governador Belivaldo Chagas e do deputado federal Fábio Mitidieri; o MDB do ex-governador Jackson Barreto e do deputado federal Fábio Reis; e o PCdoB, seu ex-partido por mais de três décadas.

Trocando em miúdos, como ainda faltam 62 dias para o fim das convenções partidárias para definição de candidaturas e alianças, os partidos e pré-candidatos de oposição estão só conversando, sem fechar aliança e, muito menos, o vice.

Com isso, Aracaju segue hoje com nove pré-candidatos a prefeito pela oposição: Valadares Filho (PSB), Danielle Garcia (Cidadania), Almeida Lima (PRTB), Márcio Garcia (DC), Henri Clay (Rede), Márcio Macedo (PT), Georlize Oliveira (DEM), o deputado estadual Rodrigo Valadares (PTB) e agora o professor Alexis Pedrão (PSOL). É muito provável que até as convenções esse número reduza com composições feitas entre eles.

Agora é aguardar!

…………………………………………….

Fortalecimento

O pré-candidato a prefeito Valadares Filho (PSB) avalia que o momento é de fortalecimento dos partidos e candidaturas para a Prefeitura de Aracaju. “É muito cedo para fechar aliança. As convenções vão até 16 de setembro. É natural que os partidos busquem o seu fortalecimento, continuem debatendo. No momento estou interessado em discutir o melhor para Aracaju e fortalecer nossa pré-candidatura, para mais na frente as conversas poderem evoluir”, afirmou à coluna.

Diálogo aberto

Ressalta Valadares Filho que teve conversas com Cidadania, DEM, Patriota e Avante e vai manter aberta a “porta do diálogo”.  Enfatiza ainda que vai buscar a maior unidade possível da oposição e que vê com naturalidade um grande número de pré-candidatos pela oposição. Lembra que a base do prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) também está rachada com a pré-candidatura de Márcio Macedo (PT) e as especulações em torno de uma possível candidatura do deputado estadual Zezinho Sobral (Podemos).

Sinal verde 1

Do senador Alessandro Vieira, presidente estadual do Cidadania: “Algumas pessoas têm me perguntado sobre a possibilidade de aliança com o PSB. Política pressupõe diálogo e tivemos boas reuniões com Valadares Filho. Entendo que pode ser importante tê-los com a gente nesta construção, fortalecendo a unidade pela real transformação de Aracaju”.

Sinal verde 2

Da pré-candidata Danielle Garcia (Cidadania): “Nossas conversas com Valadares Filho têm sido bastante programáticas. Queremos unir aqueles que defendem um novo tempo para Aracaju. Um tempo de gestão eficiente, técnica e que combate à corrupção com força”.

Desencantado para alianças 1

O pré-candidato a prefeito Almeida Lima (PRTB) diz que vem conversando com partidos, mas não com tanto afinco. “Entre os partidos que conversei nem todos estão com vontade de aglutinar. Minha experiência política tem ensinado que nessa questão política nem todos têm o projeto de fazer aliança, mas melhorar sua empada, colocar mais azeite, para se valorizar para depois ser chamado pelo governo que vai dizer deixa disso, venha para cá. Já me penalizei um bocado nisso”, disse à coluna.

Desencantado para alianças 2

“Minha missa é de corpo presente. As pessoas se aproveitam disso para ganhar espaço. Não estimulo conversas. As pessoas podem fazer muito uso para mandar recados. Apontam para o sul quando o caminho é o norte. Jogam baixo e mesquinho”, declara, defendendo que alianças sejam fechadas logo para que a população não seja pega de surpresa e na última hora e garantindo que será candidato a prefeito com aliança ou chapa puro-sangue.

Só avaliação  

O governador Belivaldo Chagas (PSD) se reúne hoje, às 11h, apenas com o comitê científico para avaliar o quadro da pandemia da Covid-19 no estado. Não se reunirá com o comitê econômico para discutir sobre avanço de fase para reabertura do comércio, mediante decisão judicial tomada pelos Ministérios Públicos Federal, Estadual e do Trabalho. Antes da decisão judicial, estava marcada reunião nessa segunda e terça-feira com os comitês para discussão do avanço ou não da fase laranja para a amarela conforme Plano de Retomada Econômica.

Ponto de vista 1

Enfatiza Belivaldo, na luta contra o novo coronavírus, o governo vem atuando consistentemente em duas frentes: ampliação de leitos de UTI, e transparência na divulgação de dados. “Fortalecemos uma estrutura capaz de cuidar devidamente dos sergipanos, e acreditamos que informação também pode salvar vidas”.

Ponto de vista 2

Ressalta que o resultados disso é que hoje o estado já possui mais de 23 mil curados da Covid-19, conforme boletim epidemiológico da Saúde. “Além disso, alcançamos alto nível de transparência na divulgação de dados, segundo o ranking da ONG Open Knowlege Brasil. Estamos em 5° lugar nacional. Quero que a população sergipana saiba que estamos lutando para vencer essa crise sanitária o mais rápido possível. Notícias como essas me encorajam a superar as dificuldades. Peço que continuem fazendo a sua parte”.

Em Sergipe

Virá amanhã a Sergipe o ministro interino da Saúde, o general Eduardo Pazuello. Será recepcionado, junto com sua comitiva, pelo governador Belivaldo Chagas, com quem se reunirá no Palácio de Despachos para conhecer as ações do Estado no combate à Covid-19. Até ontem à noite não estava confirmada a chegada do ministro a Sergipe.

Longa interinidade

Mesmo com a pandemia da Covid-19, onde o Brasil é o segundo no mundo em casos do vírus, o general Pazuello está na interinidade do cargo de ministro desde 16 de maio, com a demissão de Nelson Teich. Já são quase dois meses…

Debate sobre fake News 1

A Câmara dos Deputados iniciou ontem um debate virtual sobre a criação da lei de combate as fake News, que chegou à Casa no início deste mês, já foi aprovada no Senado e é de autoria do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE). O Projeto de Lei 2630/20 institui a Lei Brasileira de Liberdade, Responsabilidade e Transparência na Internet, com texto que cria medidas de combate à disseminação de conteúdo falso nas redes sociais, como Facebook e Twitter, e nos serviços de mensagens privadas, como WhatsApp e Telegram, excluindo-se serviços de uso corporativo e e-mail.

Debate sobre fake News 2

A proposta gera muita polêmica. Enquanto alguns deputados e setores da sociedade acreditam serem necessárias medidas para combater o financiamento de notícias falsas, especialmente em contexto eleitoral, outros acreditam que as medidas podem levar à censura. Além do projeto do Senado, há mais de 50 projetos sobre fake News tramitando na Câmara.

Debate sobre fake News 3

O debate de ontem teve como convidados o presidente Rodrigo Maia; a secretária de Comunicação da Câmara, deputada  Joice Hasselmann (PSL-SP); o secretário de Participação, Interação e Mídias Digitais da Casa, deputado Orlando Silva (PCdoB-SP); o coordenador da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Democracia e dos Direitos Humanos com Participação Popular, deputado Marcelo Freixo (Psol-RJ); e o coordenador da Frente Parlamentar Mista da Economia e Cidadania Digital, deputado JHC (PSB-AL). As discussões continuam virtualmente na quarta (15) e na sexta (17), sempre a partir das 9 horas.

Veja essa…

Do ex-senador Almeida Lima (PRTB) alfinetando o senador Alessandro Vieira (Cidadania). “O senador Alessandro se caracterizou como maior blafe que Sergipe produziu. Conseguiu enganar em pouco tempo.Não foi como o PT, que para chegar ao poder passou mais de duas décadas enganando. Esse rapaz chegou imediatamente. Chegou como o novo e é tão mais velho que as minhas tias coroas que não casaram”.

…e essa…      

Prossegue Almeida: “Primeiro o senador se dizia um democrata. Vai para o Congresso e demonstra que não é policialesco, ou seja, sai com uma identidade e se desnuda rapidamente. Fazer aliança com Edivan Amorim? Tem nada mais antigo e antiquado que o PL de Amorim? Foi o primeiro a ir… Eu acho que a população precisa conhecer essas coisas, saber com quem se faz aliança. A população precisa saber que tô na aliança do general Mourão. Não poderia ir para o partido do vice-presidente da República escondido. A esquerda não tem nada em Sergipe e no país. É apenas um rótulo que cabe em qualquer pessoa. Temos ojeriza a general por conta da ditadura, mas Mourão é democrata e nacionalista, tem projeto para o país e a nação”.

 CURTAS     

O senador Alessandro Vieira aciona o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) contra o ministro João Otávio Noronha, presidente do Superior Tribunal de Justiça  (STJ), por ter concedido prisão domiciliar a Fabrício Queiroz e à mulher Márcia de Aguiar.

No entendimento do senador, o ministro deu tratamento desigual na concessão de prisão domiciliar ao PM reformado e ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), em razão da pandemia do novo coronavírus, uma vez que negou benefícios a outros presos em situação similar.

Segundo dados estatísticos disponíveis no Portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o Brasil tem hoje 16.499.493 pessoas filiadas a partidos políticos no país, sendo 9.015.650 do sexo masculino, 7.476.783 do sexo feminino e 7.060 sem gênero informado.

Das 33 legendas registradas no TSE, o MDB é o que tem mais filiados: 2.163.450 pessoas. Já o recém-criado Unidade Popular (UP) é a agremiação política brasileira com menos filiados, totalizando 1.116 membros.

Além do MDB, apenas outros seis partidos políticos registrados na Justiça Eleitoral contam com mais de 1 milhão de filiados: PT, com 1.535.390; PSDB, que tem 1.379.564; PP, com 1.342.038; PDT, que conta com 1.162.475 filiados; PTB, com 1.092.195; e DEM, com 1.025.415 filiados.

 

Vários políticos de Sergipe contrariam o novo coronavírus.  O ex-deputado federal Valadares Filho (PSB) é mais um político do estado a contrair a Covid-19. Ele testou positivo para o vírus, está bem e em casa sob orientação médica, e em reta final de recuperação.  A quarentena termina amanhã.

Antes as mortes pela Covid-19 eram apenas números para a maioria das pessoas. Agora já tem nomes, com a quantidade de parentes e amigos que já contrariam o vírus e até vieram a óbito. Só em Sergipe já temos em uma semana nomes de pessoas que perderam suas vidas para o coronavírus   como o do escritor e jornalista Amaral Cavalcante e do médico Marco Antônio Costa Campos. Também faleceu Genivaldo Viana, 45 anos, irmão do pré-candidato a prefeito de Simão Dias, Cristiano Viana (PSB).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *