Novo normal

Coluna Rita Oliveira – 07 julho

A pandemia do novo coronavírus segue de vento em popa no Brasil, com os casos crescendo a cada dia no país e em Sergipe. Mesmo assim há uma expectativa que em novembro, quando ocorrerão o primeiro e segundo turno das eleições já aprovados pelo Congresso Nacional, a pandemia já esteja controlada no Brasil.

O que se questiona agora é como será a campanha eleitoral, que iniciará oficialmente em 27 de setembro. Ela poderá seguir com as mesmas estratégias de dois anos atrás, quando o forte é o corpo-a-corpo com o eleitor? Provavelmente não, pois o recomendado é o distanciamento e ainda não se tem a vacina contra o vírus invisível e mortal.

Enquanto o vírus circula e não se tem a vacina, não é prudente o candidato ir de casa em casa.  Ele pode não só contrair a Covid-19, como também contaminar pessoas que podem chegar a óbito independente de fazer ou não parte do grupo de risco.

Com isso, nas eleições deste ano deve ser mudado o jeito de fazer campanha. O corpo-a-corpo, uma das principais estratégias políticas dos candidatos, está literalmente comprometida.

Em razão disso, será um desafio dos candidatos chegar às localidades mais humildes, onde não há internet, celular e redes sociais. E onde estiver, ainda é alto o número de idosos sem acesso à tecnologia.

Mesmo assim, as redes sociais farão a diferença, mas não serão totalmente responsáveis por eleger o candidato.  Nesse cenário, os candidatos terão pela frente o desafio de como chegar ao eleitor nessa pandemia da Covid-19.

Enquanto não chega a campanha eleitoral muitos estão apostando em live. Já são vários os pré-candidatos se utilizando desse recurso nas redes sociais para passar suas ideias e se tornar conhecido da população, mediante debates com especialistas sobre temas relevantes.

Trocando em miúdos, sem contato físico nas eleições 2020 as redes sociais farão a diferença.  Mas serão os candidatos mais conhecidos da população, principalmente os que têm mandato, que estarão na vantagem…

…………………………………………..

Ontem (6) à noite teve mais uma live da pré-candidata a prefeita de Aracaju, Danielle Garcia Garcia (Cidadania), onde foi debatida “A crise da segurança pública em Sergipe”. Contou com a participação do Sargento Vieira

 

Ainda é cedo 1

Nenhum pré-candidato a prefeito de Aracaju já bateu martelo sobre alianças e, muito menos, sobre escolha do vice nas eleições deste ano. Segundo uma liderança política, ainda é cedo para que isso ocorra em razão do adiamento das eleições e, consequentemente, das convenções partidárias.

 

Ainda é cedo 2    

Ainda não foi batido martelo sobre uma aliança do PSDB com a delegada Danielle Garcia, pré-candidata a prefeita de Aracaju pelo Cidadania, com os tucanos indicando o vice. Também não está definido o nome do vice de Edvaldo Nogueira (PDT), que é pré-candidato a reeleição. Assim como do pré-candidato a prefeito Márcio Macedo (PT).

 

PSDB

O PSDB, que em Sergipe é presidido pelo ex-senador Eduardo Amorim, já teve várias conversas com partidos visando aliança no pleito deste ano em Aracaju. Discutiu com o DC, que tem como pré-candidato a prefeito o delegado Paulo Márcio; com o PSB, que tem como pré-candidato o ex-deputado federal Valadares Filho; e ainda com o DEM, que tem nomes como o da delegada Georlize Oliveira.  Agora dialoga com o Cidadania, de Danielle Garcia e do senador Alessandro Vieira.

 

Indiaroba 1

Não está boa a relação política do partido Republicanos (ex-PRB) com o prefeito Adinaldo Nascimento (MDB). Tudo porque o gestor promoveu o desmonte da sigla no município e também não convidou o presidente estadual, o ex-deputado federal Jony Marcos, para inaugurações das obras cujos recursos (cerca de R$ 7 milhões) foram destinados por ele quando deputado.

 

Indiaroba 2

A queixa é do presidente do Republicanos em Indiaroba, o advogado Alyson Leite, que já disse que poderá não compor o palanque do prefeito. “Tal desconsideração levanta, inclusive, uma grande e real possibilidade de uma chapa puro sangue no Centro Sul. A ingratidão, é o pior dos venenos”, diz Alysson.

 

Socorro 1

O processo eleitoral começa a esquentar em Nossa Senhora do Socorro. O prefeito Padre Inaldo (PP) acusa o ex-prefeito Fábio Henrique (PDT, deputado federal e pré-candidato a prefeito, por alguns desmandos no município, a exemplo do Guajará.

 

Socorro 2

E Fábio reage: “O povo do Guajará clama por obras ou ao menos por um simples paliativo. Assim como diversas comunidades em Nossa Senhora do Socorro, o Guajará está em total abandono. Até o transporte público deixou de atender à comunidade por péssimas condições das estradas. Enquanto isso, o prefeito de Socorro insiste em dizer que a culpa é minha. Aliás, nem as obras que eu deixei em andamento foram concluídas por este senhor. É muita cara de pau! Inaldo, você está sentado na cadeira de prefeito há quase quatro anos, lembra?”.  O deputado ainda aconselha o prefeito a trabalhar.

 

Campo do Brito

O pré-candidato a prefeito de Campo do Brito (PL), Zominho, desmentiu ontem um radialista local que afirmou que desistiria de disputar a prefeitura municipal, colocando outro nome em seu lugar. “É impressionante a forma como o radialista tenta destruir a minha imagem com mentiras. Quero reafirmar a minha pré-candidatura e dizer que estou firme na disputa em prol do melhor para Campo do Brito”, afirmou

 

Haja pesquisa 1

Mais uma pesquisa para prefeito e vereador está sendo feita em Lagarto.  Agora é o Instituto de Pesquisa e Ensino que iniciou pesquisa no município, após registro no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SE) no último dia 4 de julho. A pesquisa, contratada por Carlos de Almeida Menezes, será divulgada no próximo dia 10 de julho.

 

Haja pesquisa 2

Nos últimos 15 dias foram realizadas quatro pesquisas para prefeito e vereador de Lagarto. Fizeram as pesquisas os institutos: Franca (realizou duas), Alô Sergipe e Dissan Empreendimento.  A maioria foi impugnada pela Justiça.

 

Pré-candidatos

São pré-candidatos a prefeito de Lagarto a prefeita Hilda Ribeiro (SD), o ex-deputado federal Sérgio Reis (MDB), o deputado estadual Ibraim Monteiro (PSC), o ex-superintendente da Polícia Federal, Kércio Pinto e Nininho da Bolo Bom (Cidadania).

 

Ainda o projeto das fake News 1

Deputados federais participaram no final de semana de uma live para discutir as fake News, com a participação de advogados de todo o País, promovido pelo grupo Prerrogativas.  Entre os que participaram o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que defendeu a necessidade de um marco legal que permita a responsabilização das plataformas de internet e a identificação e punição de quem financia a propagação de notícias falsas, fenômeno que, segundo ele, é articulado no mundo todo com o objetivo de fragilizar a democracia por meio de ataques às instituições.

 

Ainda o projeto das fake News 2

A discussão sobre o marco legal para evitar a propagação de notícias falsas decorre da chegada, à Câmara, do Projeto de Lei 2630/20, de autoria do senador Alessandro Vieira (Cidadania), que institui a Lei Brasileira de Liberdade, Responsabilidade e Transparência na Internet. A proposta deve ser discutida a partir de hoje (7).

 

Ainda o projeto das fake News 3

Para Maia, responsabilizar propagadores de notícias falsas é uma maneira de proteger o regime democrático. “Qualquer um de nós responde por nossos atos, e as plataformas não querem ter responsabilidade. Precisamos ter um marco legal que permita investigar e chegar aos financiadores desses esquemas que usam de forma radical e equivocada as redes sociais”, disse.

 

Ainda as fake News 4

Segundo o presidente da Câmara, permitir que se investigue a propagação de notícias falsas com ataques à democracia não afeta a liberdade de expressão ou de imprensa. “Nós não vamos enfraquecer a liberdade de expressão. Nós vamos fortalecer a liberdade de expressão correta. Essas redes sociais politizadas querem gerar o medo. Se nós não tivermos a coragem de organizar um texto que dê limites e punição, vamos ter problemas mais graves no futuro”, disse.

 

Animando campanha na internet 1

Tramita na Câmara dos Deputados Projeto de Lei 3623/20 que autoriza a contratação de artistas, para apresentações em plataformas digitais da internet, nas campanhas eleitorais de candidatos nos pleitos municipais de 2020, excepcionalmente.

 

Animando campanha na internet 2

Pelo texto em análise na Câmara dos Deputados, os gastos individuais de cada candidato ficarão limitados a R$ 20 mil, podendo o artista ser contratado por mais de um candidato. Os chamados “showmícios” de artistas em campanhas eleitorais foram proibidos pela “minirreforma eleitoral” de 2006 (Lei 11.300/06).

 

Veja essa…

Do padre Edson Adélio Tagliaferro, da Igreja Matriz Nossa Senhora das Dores, em Artur Nogueira, a 150 km de São Paulo, ao criticar o presidente Bolsonaro durante a homilia da missa celebrada na última quinta-feira (2): “Um país que já chegou a 60 mil mortos pela pandemia e não tem um ministro da Saúde, vocês querem que eu fale o que? Aquilo que todos falam, que ele não trabalha porque não deixam ele trabalhar? Não! É porque ele não presta. Bolsonaro não vale nada”.

…e essa…

Prosseguiu o padre: “Quem votou nele deveria se confessar, pedir perdão a Deus pelo pecado que cometer, porque elegeu bandido para a Presidência”. Pegou pesado!

 

 

CURTAS

O ex-deputado federal Heleno Silva participa hoje, em Brasília, de reunião da Executiva Nacional do Republicanos, para discutir as eleições nas capitais e participação da legenda.

 

A prefeita de Pedrinhas, Mara da Farmácia (PSD), vai para a reeleição apostando que a população vai entender os “avanços da administração municipal” na sua gestão, principalmente na educação, retomada de obras inacabadas e no “bom uso dos recursos públicos”.

O Coronel Rocha, presidente municipal do Cidadania em São Cristovão, se recuperou da Covid-19. Teve alta do hospital no final de semana.

 

A deriva. Em meio a pandemia, o Ministério da Saúde está há 53 sem um ministro titular. Já o  Ministério da Educação está há 19 dias sem titular. Só Jesus na causa!

Na contramão. Depois de vetar uso obrigatório de máscaras em escolas, universidades, templos religiosos agora o presidente Bolsonaro, suspeito de ter contraído a Covid-19, veta o uso de máscaras em presídios.  Resultado do exame sai hoje.

 

 

Acontecerá nesta semana uma videocoferência do ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, com prefeitos visando abordar a liberação de recursos para o enfrentamento ao coronavírus nas cidades e as ações das prefeituras nesta área. O prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) participará, representando os municípios do Nordeste. Ontem ele participou de uma reunião preparatória para encontro com ministro, também por videoconferência, da Frente Nacional de Prefeitos (FNP).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *