Contra o coronavírus, Prefeitura já realizou mais de 270 ações de desinfecção

Campanha de informação e orientação à população sobre a Covid-19

 

Para diminuir a possibilidade de proliferação do novo coronavírus na capital sergipana, a Prefeitura de Aracaju, por meio da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), está desinfetando, desde o dia 27 de março, espaços públicos e locais de aglomeração ou movimentação constante de pessoas. O procedimento de desinfecção já foi realizado 272 vezes desde esta segunda-feira, 29.

Esse serviço contempla terminais de integração do transporte público, pontos de ônibus e de táxi, mercados, casas de apoio a idosos, cemitérios, áreas internas e externas de hospitais e clínicas, unidades básicas de saúde que atendem exclusivamente a pacientes com síndromes gripais, órgãos de segurança pública, dentre outros locais.

“Já foi comprovada que a ação do hipoclorito e do sabão desinfetante, nos ambientes de circulação são efetivas, mesmo que de forma temporária. Houve cidades onde foram coletadas amostras em corrimões, em bancos de praça, e, em 800 amostras foram detectadas a presença do coronavírus em 50 delas. Então, aplicou-se a desinfecção nesses 50 ambientes e depois o teste foi repetido, dando negativo”, afirma o presidente da Emsurb, Luiz Roberto Dantas, ao justificar a eficácia das ações de desinfecção.

O serviço começa pela varrição de todo o local. Em seguida é feita uma lavagem com sabão geleia, que é um produto desinfetante, e logo após é aplicado o hipoclorito de sódio, um antibactericida e esterilizante, para eliminar o vírus que porventura esteja no chão, corrimão, dentre outros locais. Para realização desta ação, 60 agentes foram treinados e atuam na limpeza, utilizando equipamentos de proteção individual, óculos, máscara com filtro para gases, luvas, macacão e respirador facial.

“Existe uma ação efetiva desse serviço da desinfecção na eliminação do vírus em locais de grande circulação, onde as pessoas têm contato com maçanetas, com portas. Há uma grande importância dessa ação no que diz respeito ao controle e redução da contaminação pelo novo coronavírus. A desinfecção contribuiu e contribuirá muito nesse processo”, garante o presidente da Emsurb.

A mistura usada para a higienização dos locais combina água, cloro e hipoclorito de sódio (composto químico usado frequentemente como desinfetante e alvejante), conforme recomendações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), utilizada pelos caminhões e na aplicação com bombas costais de pulverização.  Ela é aplicada via jato de alta pressão, conectado a um caminhão-pipa.

Com profissionais de limpeza pública, divididos em duas equipes, que atuam simultaneamente em áreas distintas da capital, a desinfecção é feita por blocos e não há riscos à saúde da população nem aos trabalhadores da empresa terceirizada que aplicam o produto nas áreas públicas.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a sobrevida do vírus pode durar dias em várias superfícies, como aço, plástico e papelão. Dessa forma, em virtude do aumento de casos confirmados da doença na capital, na segunda etapa, o trabalho de esterilização foi ampliado e passou a ser executado na parte interna de órgãos públicos municipais, estaduais e federais.

A iniciativa da Prefeitura de realizar a desinfecção desses pontos públicos foi discutida e aprovada no Comitê de Operações Emergenciais, da administração municipal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *