Prefeitura de Aracaju prorroga decreto com medidas de combate ao coronavírus e amplia leitos de estabilização

A Prefeitura de Aracaju prorrogou até o dia 10 de junho as medidas de combate ao coronavírus no município. A decisão foi tomada pelo prefeito Edvaldo Nogueira durante reunião do Comitê de Operações Emergenciais (COE), na manhã desta quarta-feira, 3. A manutenção das medidas foi definida levando em consideração o crescimento dos casos, o baixo índice de isolamento social na cidade e a ocupação dos leitos hospitalares. Também ficou estabelecida a ampliação dos leitos de estabilização na rede municipal de saúde da capital: serão mais 10 leitos, com respiradores.

Continuam vigentes pelo novo decreto as medidas de isolamento social, a exemplo da proibição do funcionamento de serviços não-essenciais (como o centro comercial e shoppings centers) e de aglomerações (eventos e locais como cinemas, teatros e academias), do uso obrigatório de máscaras e da redução da frota do transporte público. Também está mantido o período de suspensão das aulas nas escolas, faculdades e universidades públicas e particulares até 30 de junho.

“Todas as medidas de isolamento social que tomamos até agora foram corretas, pois nos deram tempo para ampliar de maneira objetiva a estrutura de atendimento do sistema de Saúde. Ao mesmo tempo, realizamos um trabalho de fiscalização muito eficiente e prestamos assistência social para quem se encontra em situação de vulnerabilidade social. Além de ter desenvolvido uma ação conjunta entre a Prefeitura e o governo do Estado. Tudo isto foi muito importante para impedir a rápida proliferação do vírus. Agora, diante dos dados científicos e do nosso planejamento, ainda se faz necessário manter as medidas do nosso decreto. As pessoas precisam continuar em casa. Ainda não chegamos ao ponto do relaxamento das regras”, justificou o prefeito.

Leitos de estabilização

Sobre o quadro hospitalar, o prefeito anunciou a ampliação dos leitos de estabilização para pacientes com covid-19. Nos próximos dias, 10 leitos deste tipo, com a existência de respiradores, serão disponibilizados aos aracajuanos no Centro de Atenção Psicossocial (Caps) Jael Patrício. Eles se somam aos 16 leitos de estabilização já existentes na rede, exclusivos para coronavírus – já existem dois no hospital Nestor Piva, quatro no hospital Fernando Franco e 10 no Hospital de Campanha. “São leitos muito importantes, pois servem para, como o próprio nome sugere, estabilizar o paciente e evitar o agravamento do seu quadro de saúde”, afirmou Edvaldo.

Quadro atual

A demora na liberação dos resultados dos exames pelo Laboratório Central de Saúde Pública de Sergipe (Lacen) foi abordada na reunião. Há, no momento, um acúmulo de 5.400 testes aguardando resultado. A avaliação no COE, corroborada pelo professor Paulo Martins, da Universidade Federal de Sergipe, é de que este represamento interfere na avaliação sobre a evolução dos casos na cidade.

Outro ponto discutido foi a orientação dada pelo Consórcio do Nordeste de adoção de isolamento social mais rígido, o lockdown, em Aracaju. O prefeito chamou a atenção que o estudo foi realizado com base em dados da semana passada, sem considerar a ampliação dos leitos públicos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) dos últimos dias. Com a disponibilização dos novos leitos, a ocupação está, atualmente, abaixo dos 80%, de modo que não é necessário o lockdown neste momento.

Na reunião, também foram analisados os números de casos confirmados por bairros. Pelo estudo apresentado pelo professor Paulo Martins, foi constatado o declínio no índice de isolamento social na capital sergipana e, como consequência, o aumento no número de pessoas contaminadas pela covid-19. Ele apontou os bairros Luzia, Jabotiana, Atalaia, Jardins e Farolândia como os que possuem os menores índices de isolamento e alertou para a faixa etária dos moradores (grande quantitativo de idosos) dessas localidades, como um fator preocupante. No estudo, o professor indicou uma queda acentuada no isolamento social em Aracaju aos fins de semana.

O secretário municipal da Fazenda, Jeferson Passos, responsável pelo grupo que define os protocolos técnicos que embasam as medidas restritivas, mostrou o aumento da ocupação dos leitos de enfermaria em Aracaju: de 39% para 49,6% em uma semana, o que também reforça a necessidade da manutenção do isolamento social. “Os parâmetros que temos atualmente são crescentes, a exemplo da ocupação dos leitos de retaguarda. A cidade continua no nível de Alerta II, o que prova que não é momento de relaxar, mas também não é hora de adotar um isolamento mais rígido”, afirmou Passos.

Na avaliação de Edvaldo, as análises feitas na reunião são “realistas e pertinentes”. “Temos visto um crescimento diário  dos casos e todos os apontamentos feitos aqui são fundamentais. Todas as decisões tomadas até o momento foram embasadas nos estudos, na ciência, e continuará sendo dessa forma. Inclusive, acredito na necessidade de incluir a média de dias de internamento dos pacientes nesses estudos para que possamos decidir sobre o aumento dos leitos de estabilização, se for necessário. Nossa prioridade sempre será a proteção de vidas e a prestação de um atendimento digno aos pacientes, como vem sendo feito. O trabalho realizado nas UBS exclusivas para síndromes gripais tem sido muito bem feito, estamos fazendo os exames e esse atendimento básico é fundamental para que não ocorra o agravamento na média e alta complexidade”, destacou o prefeito.

Ações da Prefeitura

A Prefeitura de Aracaju atua de maneira efetiva no enfrentamento ao coronavírus. As primeiras medidas para garantir o distanciamento social foram adotadas pela gestão no dia 15 de março, após a confirmação do primeiro caso de contaminação pelo coronavírus, na cidade. Desde então, com base em avaliações periódicas do quadro de evolução do vírus na capital sergipana, e embasada em estudos científicos, a administração municipal tem ampliado as ações, como forma de restringir ao máximo a circulação dos aracajuanos e, como consequência, a disseminação da covid-19.

Com isso, além das atividades comerciais, tem permanecido suspenso o funcionamento de shoppings centers, academias, teatros, casas de show e bares, enquanto restaurantes e lanchonetes continuam com o sistema delivery. Também continua proibida a prática de qualquer atividade em áreas de lazer, espaços públicos e praias da cidade, assim como a realização de eventos que causem aglomerações.

Para assegurar o cumprimento das medidas estabelecidas pelos decretos, a administração municipal tem realizado fiscalizações pelos bairros da cidade, conscientizando a população e coibindo práticas que possam contribuir para a propagação do coronavírus. A ação é coordenada pela Secretaria da Defesa Social e integra equipes da Defesa Civil, Guarda Municipal e Procon. Até a manhã desta quarta-feira, 1.042 estabelecimentos foram fiscalizados em Aracaju.

A gestão municipal atua fortemente, ao mesmo tempo, na estruturação da Saúde. Um Hospital de Campanha com 152 leitos, para pacientes de baixa e média complexidade (que são de responsabilidade da gestão municipal) foi erguido rapidamente e já se encontra em funcionamento. O hospital possui leitos de retaguarda e de estabilização. Há ainda 13 leitos no hospital municipal Nestor Piva, sete leitos no hospital Fernando Franco, além de 20 leitos contratados no hospital São José, 15 leitos pediátricos no hospital Santa Isabel e cinco no Hospital Universitário. A Prefeitura também instalou 20 leitos de retaguarda no Caps Jael Patrício.

“De maneira isenta, de quem está fora da gestão e de quem tem participado de várias discussões, posso afirmar com certeza que todas as medidas que precisavam ser tomadas foram adotadas pela Prefeitura de Aracaju e pelo governo estadual. Foram muito importantes para dar tempo de avançar na estruturação da rede de saúde. A gente não chegou a uma situação caótica porque as medidas de isolamento foram tomadas precocemente”, afirmou o professor Paulo Martins.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *