Danielle Garcia alerta para ocupação de leitos de UTI em Aracaju

Diante do crescimento da crise de pandemia do coronavírus em Aracaju, os leitos de UTI na Capital passaram a ser ocupados rapidamente. No último sábado, 23, esta ocupação atingiu 77,6% dos leitos da rede pública. Este número demonstra a real necessidade de que o sistema público de Saúde receba o reforço de mais leitos de UTI.
Para a delegada e pré-candidata a prefeita de Aracaju, Danielle Garcia, este quadro é alarmante. “Isso representa mais vidas em risco. O hospital de campanha, que há 3 dias recebeu seu primeiro paciente, não possui leitos de UTI. Desde o início dessa pandemia nós cobramos a apresentação de um planejamento, um plano com ações concretas por parte da prefeitura de Aracaju e do governo do Estado. Nada foi apresentado”, lembrou.
Ainda de acordo com a delegada, neste período de grave crise é importante que Governo e Prefeitura não meçam esforços para que vidas sejam salvas. “Tenho ciência de que o atendimento de média e alta complexidade na saúde não é de responsabilidade da gestão municipal. Assim como segurança, constitucionalmente, não é. Mas em tempos de uma crise dessas proporções, medidas excepcionais são necessárias, são urgentes”, ressaltou.
Ela pede que a Prefeitura intervenha na criação de leitos de UTI por entender que as pessoas em estado grave devem ser atendidas, independente de quem o faça. “Se o Governo do Estado não garante os leitos necessários para a população aracajuana, então a Prefeitura deve agir. O que não pode é o poder público colocar vidas em risco. Isso é inadmissível. Onde estão os 80 respiradores, governador Belivaldo Chagas? Que medidas emergenciais estão planejadas, prefeito Edvaldo Nogueira?”, questiona a delegada.
Danielle aponta medidas que podem fazer com que a população aracajuana continue sendo atendida na Capital. Ela critica a falta de diálogo tanto da Prefeitura de Aracaju, quanto do Governo do Estado com entidades e pessoas especialistas na área e sugere que os gestores ouçam mais as pessoas. A delegada lembra que isso poderia ter sido feito no início da pandemia, mas que ainda há tempo para que, a partir disso, vidas sejam salvas.
“Sugiro estabelecer convênio urgente com os hospitais particulares e adquirir respiradores para a transformação de leitos do Nestor Piva em UTI. É hora de ouvir as pessoas, de envolver a sociedade nas decisões. Embora isso devesse ter sido feito meses atrás, acredito que ainda é possível. Se medidas emergenciais não forem adotadas agora, começaremos a ver aracajuanos sendo transferidos às pressas para hospitais do interior com risco de morte. Tenho certeza que nem o prefeito, nem o governador querem isso. Mas não querer não basta. É preciso agir”, afirmou Danielle Garcia.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *