Priorizando a vida

Coluna Rita Oliveira – 19 maio

 

Como já era esperado o governador Belivaldo Chagas (PSD) não flexibilizou as medidas de combate ao novo coronavírus em decreto publicado ontem (18), à tarde. Ele ignorou a pressão dos empresários de Sergipe para abertura do comércio, comandada pelo deputado federal aliado Laércio Oliveira (PP), presidente da Fecomércio, e baixou medidas mais restritivas observando o crescimento contínuo do número de casos confirmados com a Covid-19, e consequentemente, o impacto na taxa de ocupação de leitos por internamento.

No Decreto nº 40.598, o governador determina, por tempo indeterminado, que permaneçam suspensos, os eventos, reuniões de qualquer natureza, com aglomeração de pessoas, de caráter público ou privado, além da visitação a presídios.  Que permaneçam suspensos o comércio em geral, academias, shopping centers, galerias, boutiques, clubes, boates, casas de espetáculos, salão de beleza, clínicas de estética, à exceção das atividades consideradas essenciais. Estabelece ainda o funcionamento adaptado as repartições públicas, assim como o uso obrigatório de máscaras.

Na coletiva que concedeu à imprensa, na tarde dessa segunda-feira, no Palácio de Despachos, o governador deixou claro a importância de manter o distanciamento social e reforçar as medidas que vão até o próximo dia 25 de maio. Avisou que nesta semana será intensificada a fiscalização para o cumprimento efetivo do que está sendo posto no Decreto e ressaltou que o descumprimento das medidas vão resultar em advertência, multa e interdição, sendo delegado ao Procon, PM, PC, Defesa Civil e CBM, a competência.

Ressaltou que será uma ação dura, conjunta com a Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e Guarda  Municipal, principalmente com relação a grande Aracaju e aos 10 municípios que apresentam o maior número de casos no estado. “Se não voltarmos às taxas de isolamento aceitáveis na Grande Aracaju, vamos discutir a possibilidade de lockdown na região. Precisamos convencer as pessoas da importância do isolamento neste momento”, destacou Belivaldo.

O governador está correto em não flexibilizar, uma vez que em Sergipe, assim como no país, está crescendo o número de óbitos e casos. Até ontem à noite tinham sido registrados  59 mortes e 3.566 novos casos da covid-19 no estado, segundo boletim da Secretaria de Estado da Saúde. No país, segundo boletim do Ministério da Saúde, já são 16.792  óbitos e 254.220 pessoas infectadas

Vale  ressaltar que no estado esses números não são piores graças as medidas adotadas pelo Governo de Sergipe e Prefeitura de Aracaju. Medidas essas que levaram a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) a apontar Sergipe como o estado do Nordeste que mais adotou ações de enfrentamento ao coronavírus desde o início da pandemia. Foram implantadas ao todo 24 ações, no período analisado, 17 medidas “gerais” de combate à Covid-19 e 7 voltadas diretamente à saúde.

Como a coluna vem dizendo nessa pandemia a economia pode ser recuperada, mas uma vida não pode ser ressuscitada. O governo não pode ir na contramão da importância de uma vida. Entre salvar um CNPJ e um CPF, que seja salvo o CPF…

…………………..

Facultando aos municípios

No decreto baixado ontem o governador Belivaldo Chagas (PSD) reforçou a competência dos municípios para instituir sobre regras de circulação,  rodízios de carros, proibição de estacionamentos, implantação de barreiras sanitárias e decisão sobre lockdown. Pelo menos sete já decretaram toque de recolher à noite.

Satisfeito

O ex-governador Jackson Barreto (MDB) comemorou ontem o novo decreto do governador Belivaldo Chagas (PSD) com medidas mais restritivas para o enfrentamento ao novo coronavírus. “Muito bem. Tem de endurecer mesmo. Colocar a polícia bem presente na grande Aracaju, Nossa Senhora do Socorro e periferia. Governador tá certo. Veja que a Fiocruz colocou Sergipe em primeiro lugar nas providências contra a covid-19. Tá certo apertar”, disse JB à coluna.

 

Plano de ação 1

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) divulgou ontem, 18, um Plano de Distanciamento Controlado em Sergipe em atendimento a setores da sociedade sergipana que pedem apoio para traçar propostas concretas para o enfrentamento da crise de saúde e a retomada das atividades econômicas. Fez o plano de ação em parceria com representantes de diversas entidades sócio-produtivas como o Núcleo de Desenvolvimento Econômico e Social de Sergipe e a Associação de Empresas do Distrito Industrial de Nossa Senhora do Socorro.

Plano de ação 2

Segundo Alessandro, a avaliação do pessoal da UFS é que 100 mil testes seriam suficientes para fazer o monitoramento regional por amostra. “Falei com o ministro interino e ele garante estes kits entregues aqui esta semana. A UFS conduziria estas pesquisas, e seria possível avaliar como está o indicador de transmissão. Pedi também, por ofício, que Belivaldo destaque uma parte da cota de emendas que destinei para a manutenção da rotina de testes com a UFS. Este acompanhamento permite traçar metas de isolamento e também de retorno às atividades de forma controlada, na linha do que ocorre no RS”, disse à coluna.

Plano de ação 3

Para ele, um ponto falho dos gestores em geral está em não apresentar um horizonte de retomada, dentro de condições pactuadas de forma objetiva. “Ninguém fica tranquilo se sacrificando sem uma meta clara. Em resumo: lançamento imediato de uma campanha conjunta, nós parlamentares, empresários, sindicatos e governos na defesa de 14 dias de isolamento mais cuidadoso. A sugestão da UFS é de elevar o isolamento para algo como 55%, mas acredito que é possível engajar mais. Nestes 14 dias, os testes permitem uma compreensão da realidade local, ao mesmo tempo em que o emprego das vagas particulares de UTI pelo SUS amplia a capacidade de atendimento (Rogério tem um bom projeto nesta linha, mas o governo estadual pode acelerar) e forçamos como bancada a habilitação de mais leitos em Sergipe. Com o mapeamento regional, o governo tem segurança para abrir ou fechar as atividades, divididas em alto, médio e baixo risco”, acredita.

Ponto de vista

Alessandro destaca que, como parlamentar, tem cumprido a missão de trazer para Sergipe os recursos financeiros necessários para as ações dos governos estadual e municipais. “Dentro do manual da velha política, a conduta comum seria permanecer na simples cobrança por soluções que venham do Executivo, cruzando os braços e aguardando eventuais proveitos eleitorais futuros. Muita gente hoje se esconde, seguindo este tipo de mentalidade. Mas nossa proposta sempre foi fazer diferente, e vamos seguir assim”, garante.

Nem ai

Enquanto o Brasil registrava a marca de mais de 16 mil mortes por covid-19 no fim de semana, tornando-se o quarto país no mundo recordista em número de infectados, com mais de 200 mil, o presidente Bolsonaro voltou a participar de manifestação a favor do seu governo, em frente ao Palácio do Planalto. Ele provocou nova aglomeração ao incentivar e participar de ato em defesa de seu governo, ao lado de ministros de Estado, descumprindo recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) de distanciamento social. Foi a 63ª violação ao isolamento social, segundo levantamento do UOL.

Reação 1

Isso fez com que cinco partidos – Rede Sustentabilidade, PV, PSB, PDT e Cidadania – organizassem um ato virtual intitulado “Janelas pela Democracia: Impeachment Já”, que visa reunir manifestações populares pelo impeachment de Bolsonaro. Essas siglas já ingressaram na Câmara dos Deputados com denúncias por crime de responsabilidade contra o presidente.

Reação 2

O ato ocorrerá nos ambientes da web e nas janelas espalhadas pelo Brasil nesta terça-feira, 19, a partir das 18h30, com transmissão pelas redes sociais dos organizadores. Além das lideranças políticas, a manifestação também contará com a participação de artistas, intelectuais e organizações da sociedade civil.

Reação 3

Além da transmissão virtual, o ato “Janelas pela Democracia” vai incentivar que a população se manifeste pelas janelas, através de panelaços, apitos e instrumentos musicais. Também será incentivado o uso de roupas verde e amarelas, símbolo pátrio que os organizadores consideram que foi apropriado pelo bolsonarismo.

Indignação

Do senador Rogério Carvalho, líder do PT no Senado: “O Brasil alcançou nesta noite (domingo) 16.118 brasileiros mortos pela covid-19. Pais, mães, crianças, avós, avôs…São tantas histórias que se perdem…No mesmo dia, bolsonaristas voltam a se aglomerar em Brasília, com a presença de Bolsonaro, para debochar dessas mortes. Revoltante!”.

Cumprindo determinação judicial

Em Sergipe, a polícia conteve a carreata pró-Bolsonaro que estava marcada para ocorrer as 15h do domingo, com saída do Supermercado Extra pró-Bolsonaro. Chegou a prender organizadores e alguns manifestantes por descumprimento ao Decreto Estadual, que recomenda o isolamento social e proíbe a aglomeração de pessoas. A pedido do Ministério Público eles serão responsabilizados e deverão pagar multa, conforme liminar expedida pela Justiça proibindo qualquer forma de eventos, reuniões, carreatas ou atos de concentração de pessoas, para evitar a contaminação da Covid-19.  A multa imposta é de R$ 5 mil

Lançando pré-candidatura 1

No domingo, em suas redes sociais, o empresário Epifânio Rocha (PSC) lançou oficialmente sua pré-candidatura a prefeito de Simão Dias. Em 2016, Epifânio foi coordenador da campanha do prefeito Marival Santana à reeleição

Lançando pré-candidatura 2

Disse o empresário, que nunca disputou mandato: “Nos últimos oito anos Simão Dias cresceu, se desenvolveu e avançou sob a liderança do prefeito Marival Santana. Porém é chegada a hora de começar um novo ciclo, assim sendo, me coloco à disposição para avançar no desafio de dar sequência a essa árdua caminhada. Com uma visão inovadora, técnica e focada na geração de emprego e renda porque o bom trabalho tem que continuar. Estou pronto”.

Os pré-candidatos em Simão Dias

Com a pré-candidatura de Epifânio Rocha já são quatro os pré-candidatos a prefeito de Simão Dias nas eleições deste ano.  Os outros três são: Cristiano Viana, pré-candidato dos Valadares; Leando Murad, pré-candidato do Cidadania; e professor Abraão, pré-candidato do PSL. Fábio Valadares, irmão do deputado estadual Rodrigo Valadares (PTB), também tem dito que pretende disputar mandato de prefeito. Vai disputar com Abraão.

Veja essa…

Do ex-governador Jackson Barreto sobre as declarações de Paulo Marinho, suplente de Flávio Bolsonaro no Senado, de que o filho de Bolsonaro foi avisado com antecedência da operação da Polícia Federal que mirou seu ex-assessor, Fabrício Queiroz, no esquema da “rachadinha”, no  segundo turno das eleições 2018: “Agora tudo ficou claro que a Polícia Federal  foi usada até para a campanha eleitoral favorecer ao pai [Jair Bolsonaro]. Uma verdadeira desmoralização para o seu papel. O filho da puta do Moro tá satisfeito. Todos crimes com prova. Nada acontece. Enquanto isso, Lula é condenado e preso apenas com delação e fica inelegível.  Um absurdo tudo isso. Quero ver agora depois disso se o ministro Celso de Melo [do STF] tem coragem de anular processo. O clima hoje é melhor: tanto Moro  como Bolsonaro desmoralizados”.

CURTAS

De Rogério Carvalho: “As revelações do empresário Paulo Marinho, amigo íntimo da família Bolsonaro e suplente do senador Flávio Bolsonaro, são gravíssimas. Elas configuram claramente uma fraude eleitoral ao atrasar uma operação envolvendo Queiroz para não prejudicar a eleição de Bolsonaro”.

A Folha de São Paulo do domingo publicou um artigo do deputado federal Laércio Oliveira em que afirma que são várias as medidas para situações imediatas de salvar vidas, mas também é estratégico prover sinalizações futuras que estimulem a manutenção das estruturas produtivas e dos empregos. Defendeu a prorrogação da Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta (CPRB) por dois anos.

Em Poço Redondo foi criado um grupo de zap dos amigos do pré-candidato a prefeito Roberto Araújo (PT). O “Amigos de Roberto Araújo” está sendo bem comentado no município por conta das adesões e de notícias dos bastidores do sertão e Sergipe.

Por conta da pandemia do coronavírus, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, decidiu suspender o recesso parlamentar que ocorreria de 17 a 31 de julho. O recesso é previsto na Constituição e ocorre todos os anos. A decisão foi anunciada pela Presidência da Casa após reunião de líderes, realizada ontem (18).

 

Nessa quinta-feira, 21, o presidente Jair Bolsonaro marcou para às 10h uma reunião virtual com todos os governadores do país para debater o projeto de lei de socorro a estados. Vai ouvir os representantes estaduais para decidir se vai vetar ou não o trecho que abre exceções para o congelamento de salários no serviço público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *