COVID-19 afetará comércio no Dia das Mães

Segunda melhor data para as compras e motivo para alavancar vendas, o Dia das Mães, a ser comemorado no próximo domingo, 10, pode ter um final não muito bom este ano em razão da pandemia mundial, por ocasião do Coronavírus.

A preocupação também é manifestada com pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Aracaju (CDL) e pela Federação das CDLs (FCDL), que já contabilizam em seus bancos de dados – SPC Brasil – números da ordem de 45% a menos em consultas feitas pelos lojistas em relação ao mesmo período do ano passado.

As incertezas e inseguranças causadas pela pandemia da COVID-19 deverão afetar o comércio nas comemorações do Dia das Mães deste ano. É o que aponta o levantamento feito em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito. Revela, no entanto que, apesar disso, 68% dos brasileiros pretendem presentear nesta data.

O número é o menor dos últimos três anos, 2017 (73%), 2018 (74%) e 2019 (78%), reflexo da crise econômica causada pela pandemia da COVID-19 e da queda da renda familiar. Apesar disso, sete em cada 10 consumidores, deverão ir às compras este ano.

Considerando apenas aqueles que vão deixar de presentear por estarem sem dinheiro, desempregados ou não poderem encontrar a mãe, 77% apontam a Covid-19 como principal motivadora.

Sergipe – Para Brenno Barreto, que preside a CDL, a pesquisa aponta ainda que o consumidor brasileiro está cauteloso na hora de ir às compras. “O percentual daqueles que esperam gastar mais ou a mesma quantia do último ano passou de 67% na pesquisa de 2019 para 40% em 2020, uma queda de 27 pontos percentuais”, diz com base na amostra.

Edivaldo Cunha, presidente da FCDL, crê que apesar de a economia mundial ter sido afetada diretamente, e em Sergipe não é diferente, “mas ainda existe o apelo emocional em relação ao dia sagrado, o das Mães, onde seus filhos presenteiam comumente e por gratidão eterna, além das esposas, sogras e avós”, reforça.

Para o presidente da CNDL, José César da Costa, a crise financeira causada pela COVID-19 afeta a renda familiar do brasileiro, que também está inseguro com o cenário incerto dos próximos meses.

“Quase 4 milhões de trabalhadores já fizeram acordo de redução de jornada e de salários, o que impacta diretamente na renda familiar. O cenário dos próximos meses traz insegurança para a manutenção das empresas e dos postos de trabalho. As pessoas ainda vão tentar presentear as mães, mas o gasto tende a ser menor do que nos anos anteriores”, afirma Costa.

Compras pela Internet – Com os shoppings centers e a grande maioria dos comércios de rua fechados, ganham destaque as compras pela internet (53%), meio de compra mais citado pelos entrevistados; seguida das lojas de rua/bairro (49%) e supermercados (18%).

A pesquisa também detectou os fatores que mais influenciam na escolha do local de compra dos presentes: 48% vão optar por locais que ofereçam os melhores preços, 37% por locais que ofereçam boas promoções/descontos, 36% por lugares que tenham produtos de qualidade e 27% darão preferência a lojas que ofereçam frete grátis. 18% mencionaram a disponibilidade da loja que esteja funcionando/aberta devido ao Coronavírus.

“Diante do isolamento social imposto pelo coranavirus, cresce a importância dos comerciantes buscarem estratégias para aumentar sua presença online, de maneira que possam atrair clientes e aumentar suas vendas. Neste sentido, as redes sociais e o Whatsapp são meios simples de operar, especialmente para aqueles que possuem menos recursos para investir em sites ou aplicativos”, destaca o presidente da CNDL.

O gasto médio pretendido com todos os presentes em 2020 é de R$ 188, o que pode garantir a injeção de até R$ 20,2 bilhões na economia.

A pesquisa mostra que os presentes mais procurados por quem vai presentear serão as roupas, calçados e acessórios (43%), perfumes (34%), cosméticos (26%) e chocolates (18%).

A maior parte dos entrevistados (47%) afirma que pretende fazer as compras na primeira semana de maio. 17% diz que fará as compras ainda no mês de abril e 14% deixarão para a última hora, indo às compras no final de semana do Dia das Mães.

*Ascom CNDL, com Ascom FCDL/Se e CDL/Aracaju.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *