CPTran registra queda de 9% nas ocorrências de acidentes de trânsito no isolamento social

O fluxo de veículos nas ruas está bem menor. O motivo é o isolamento social. Mas, mesmo com menos pessoas, carros e motocicletas circulando pela vias, a atenção no trânsito e o respeito às leis de trânsito devem ser mantidos para a segurança de todos os cidadãos. Nesse período de afastamento, segundo a Companhia de Policiamento de Trânsito (CPTran), houve uma redução de 9% nas ocorrências de trânsito, mas, em paralelo, foi contabilizado um aumento de 10% no número de óbitos. Já o número de vítimas lesionadas caiu 8%. Os dados foram obtidos a partir do comparativo com o mesmo período do ano passado.

De acordo com o levantamento feito pela CPTran, entre os dias 17 e 24 de março de 2019 foram contabilizadas 82 acidentes de trânsito. Já no mesmo período deste ano, esse número foi de 75 ocorrências do tipo. Desses casos, em 2019 foram 83 vítimas e quatro óbitos; enquanto que, em 2020, foram 76 vítimas e cinco mortes. Dessas cinco vítimas fatais, três são oriundas de colisões com obstáculos parados, sendo dois caminhões e um carro.

Nesse período de isolamento social, a CPTran contabilizou 28 acidentes relacionados à ingestão de bebidas alcoólicas e direção. Em todos esses casos, a embriaguez foi constatada pelo uso do bafômetro.

O capitão Adelvan Santos Silveira, comandante da CPTran, detalhou as circunstâncias que acabam levando aos acidentes nesse período. “A CPTran é responsável por contabilizar os acidentes com vítimas na Grande Aracaju. Muitas pessoas por acharem que tem um trânsito mais tranquilo, aberto, livre, aceleram, são imprudentes, invadem sinais de trânsito, fazendo com que o acidente tenha mais gravidade”, citou.

Ele faz um alerta. “Dessa forma, queremos alertar a população que a fiscalização de trânsito permanece. Muitas infrações de trânsito estão sendo perceptíveis por pessoas que continuam com imprudências, e de forma mais grave devido ao fato de ter menos veículos nos corredores de trânsito da capital. As pessoas precisam ter mais consciência de que o trânsito é para todos”, complementou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *